Lesados da PT querem abrir grupo de mediação de conflitos na CMVM

A Associação que agrega os lesados com produtos da Portugal Telecom SGPS quer abrir um procedimento de Mediação no processo que os opõe às entidades: Best, Haitong Bank, Deutsche Bank Aktiengesellschaft – sucursal em Portugal, Bankinter, – sucursal em Portugal, Novo Banco, Banco Santander Totta, Caixa Geral De Depósitos, Banco Comercial Português e Banco Português de Investimento.

A Associação de lesados em Obrigações e produtos estruturados  (ALOPE), requereu junto da CMVM a abertura de um serviço de mediação de conflitos.

“Na prossecução dos objetivos da ALOPE, em prol de todos os lesados da PT, ansiamos que a cooperação com a CMVM (onde estamos inscritos como Associação de Defesa de Investidores) augure encontrar uma solução que permita mitigar os danos (patrimoniais e psicológicos) infligidos aos lesados que investiram em produtos relacionados com a ex-PT, bem como, restabelecer a confiança no sistema financeiro Português”, diz a associação em comunicado.

O Jornal Económico sabe que há conversas com a CMVM para abrir um grupo de mediação de conflitos, mas ainda em fase preliminar.

A Associação quer abrir um procedimento de Mediação  no processo que os opõe às entidades: Best – Banco Electrónico de Serviço Total, Haitong Bank, Deutsche Bank Aktiengesellschaft – sucursal em Portugal, Bankinter, – sucursal em Portugal, Novo Banco, Banco Santander Totta, Caixa Geral De Depósitos, Banco Comercial Português e Banco Português de Investimento.

A ALOPE, na qualidade de representante dos seus associados, investidores não qualificados, detentores dos instrumentos financeiros Credit Linked Notes, escreveu ao Conselho Diretivo da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários a propor a abertura desse procedimento de mediação de um litígio que “opõe os seus associados aos bancos identificados”.

“Resulta claro para os associados que as entidades identificadas falharam, em massa, no cumprimento dos seus deveres de boa intermediação financeira e no caso da entidade Deustche Bank, dos seus deveres enquanto entidade emitente”, diz a ALOPE na carta enviada à CMVM.

Ler mais
Recomendadas

Petróleo a caminho de acumular um aumento de quase 20% desde o início do ano

Depois de fechar 2018 em queda livre devido a receios de um excesso de oferta global e de uma desaceleração económica, os preços do petróleo nos EUA não param de subir desde início do ano. E atingiu o maior pico nos primeiros 13 dias úteis, desde janeiro de 2001, segundo dados compilados pela Bloomberg e citados pelo El Economista.

CMVM limita a venda do derivado CFD a investidores não profissionais

A CMVM segue a recomendação da ESMA e pôs um projeto de regulamento a consulta pública até 27 de fevereiro. Esta legislação surge porque segundo dados recolhidos em vários Estados-Membros há cerca de 74% a 89% dos investidores não profissionais que investem em CFDs perdem dinheiro. Sendo que em média, perdem entre 1.600 euros e 29.000 euros.

Contenção nos mercados, com olhos no ‘Brexit’ e nos EUA, pedem analistas

Especialistas consideram que 2019 será um ano melhor que 2018, mas é preciso cautela porque um ‘hard Brexit’ pode agitar os mercados e ter consequências que podem assemelhar-se às da falência do Lehman Brothers em 2008.
Comentários