PremiumLisboa aguarda novo aeroporto há mais de 50 anos

A última opção é o aeroporto complementar do Montijo, mas o processo está ainda em fase de consulta pública, e pode sofrer um retrocesso.

Cristina Bernardo

Está há décadas para ser construído, aliás, desde que Portugal ainda não vivia em regime democrático. Já teve várias localizações preferenciais, assumidas, irrevogáveis, mas a verdade é que nunca saiu do papel. O novo aeroporto internacional de Lisboa está há meio século para sair do papel, mas já fez correr toneladas de tinta.

A maior companhia aérea da altura, a norte-americana TWA, já faliu. Entretanto, surgiu, em força, o fenómeno das low cost e a Portela tem aguentado de forma isolada o acréscimo de tráfego de passageiros. Os governos foram mudando ao sabor dos votos e das conjunturas, mas o novo aeroporto da capital nunca passou de um projeto. Entretanto, diversos foram os alvos geográficos para a nova infraestrutura: Rio Frio, Ota, Alcochete, Alverca. Uma panóplia de sugestões, com milhões de euros investidos em estudos, mas sem nenhuma resolução prática.

Artigo publicado na edição semanal de 23 de agosto de 2019, do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

“O sol nasceu duas vezes”. De Londres a Sidney são 19 horas e 16 minutos de distância

O recente Boeing 787-9 Dreamliner, apelidado de ‘Longreach’ devido ao propósito das viagens, levantou voo do Reino Unido na manhã desta quinta-feira e aterrou em Sidney à hora de almoço de sexta.

Porto de Sines: ministro das Infraestruturas foi avaliar futuros investimentos

Só no terminal XXI, de contentores, está previsto um investimento superior a 660 milhões de euros, da responsabilidade do operador privado, a PSA, de Singapura.

Carga fiscal faz com que lucros da REN caiam 5% situando-se nos 86,3 milhões de euros

O EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) foi de 368 milhões, o que representa uma queda de 2,7% face ao período homólogo, segundo a REN.
Comentários