Lisboa vai ter mais bicicletas partilhadas e mais autocarros da Carris no próximo ano

A Carris quer transportar 148 milhões de passageiros no próximo ano e vai adquirir 95 novos autocarros. Já a rede Gira vai passar a contar com mais de mil bicicletas partilhadas.

Rafael Marchante/Reuters

Depois da polémica entre a Câmara Municipal de Lisboa e a empresa de fabrico de bicicletas Órbita, que remonta a abril, a capital portuguesa vai ter mais bicicletas públicas partilhadas na rua em 2020. A proposta do orçamento municipal apresentada esta quarta-feira, 16 de outubro, na Câmara Municipal de Lisboa conta com um reforço da rede Gira em novas bicicletas e mais estações na cidade.

Na proposta apresentada por João Paulo Saraiva, vereador das Finanças da CML, a cidade vai contar com 960 novas bicicletas para os cidadãos partilharem e 60 novas estações. No início do ano, o sistema das bicicletas partilhadas da Gira apenas dispunha de 296 operacionais e de 34 estações em funcionamento.

Com o concurso ainda a decorrer, esta proposta vai permitir que a cidade de Lisboa passe a ter um total de 1.256 bicicletas e de 94 estações de estacionamento para esta mobilidade suave. O vereador das Finanças assumiu que o compromisso da autarquia é que “exista capacidade financeira para aumentar o número de bicicletas e estações” disponíveis para os cidadãos que queiram adotar a prática sustentável.

A expansão da rede de bicicletas partilhadas e a aposta nesta mobilidade suave vai originar ainda a criação de novas ciclovias, num investimento de 21,9 milhões de euros e da reabilitação de pavimentos e acessibilidade pedonal num financiamento total de 13,3 milhões de euros para o próximo ano. A aposta em mais estacionamento para automóveis também vai acontecer, com 10 mil lugares em 2020 e um total de 17.685 lugares ainda este ano.

Já a empresa pública Carris também vai ver o número de veículos disponíveis aumentar. A CML garante que a aposta nos novos passes vai continuar, sublinhando que “é um sucesso” mas “ainda tem um longo caminho a percorrer”.

Com 138 milhões de passageiros transportados em 2019, o objetivo para 2020 é chegar aos 148 milhões de passageiros anuais. Para tal acontecer, a CML destinou um financiamento total de 33,1 milhões de euros que vai permitir adquirir 95 novos autocarros, totalizando uma frota de 693 veículos. Neste presente ano verificou-se uma grande aposta na aquisição de autocarros, assumindo-se a compra de 191 novos veículos, movidos a gasóleo e a gás natural.

Um dos compromissos que ficou estabelecido no ano passado foi a criação de novas carreiras de bairros, sendo que em 2019 foram criadas 10 e no próximo ano estão previstas mais oito. O compromisso fica fechado com a criação total de 21 carreiras de bairro em funcionamento.

Ler mais
Recomendadas

Greta Thunberg vai ao parlamento português entre final do mês e início de dezembro

Há uma semana, os deputados da comissão parlamentar de Ambiente aprovaram, por unanimidade, a proposta para a vinda da ativista sueca a Portugal.

CDS quer Ordem da Liberdade para quem participou no 25 de Novembro de 1975

O deputado centrista Telmo Correia propôs que o Governo “faça um levantamento das personalidades envolvidas no 25 de Novembro e que não tenham recebido a Ordem da Liberdade”, para que essa distinção lhes seja atribuída, sejam militares ou civis, “em vida ou até a título póstumo”.

Comissão de Transparência. PAN apresenta proposta contra limites ao escrutínio público

Em causa está a decisão do presidente da comissão, Jorge Lacão, de fazer reuniões à porta fechada e sem acesso à comunicação social, alegando que há elementos que vão estar em discussão que não devem ser do conhecimento público.
Comentários