Livre: Declarações de Joacine “foram gravosas para a honra e dignidade do partido”

O partido anunciou que a deputada não vai sofrer sanções disciplinares, mas “lamenta” as declarações da deputada à comunicação social durante a primeira crise do partido, destacando que não houve qualquer “pedido de desculpas pelas mesmas, esperando que esta situação não se venha a repetir”.

A assembleia do partido Livre não vai aplicar qualquer sanção disciplinar à deputada Joacine Katar Moreira, apesar de criticar o seu comportamento.

Em comunicado, o partido revela que “após 22 horas de trabalhos durante as quais foram ouvidas a Comissão de Ética e Arbitragem (CEA), a deputada do Livre Joacine Katar Moreira e o Grupo de Contacto”, a assembleia do Livre refere que “o problema político subsiste e que é necessário resolver”.

A assembleia considera que as “declarações prestadas pela deputada do Livre à comunicação social, nomeadamente as declarações ao Observador e ao Notícias ao Minuto, foram gravosas para a honra e dignidade do partido, dos seus membros, apoiantes e simpatizantes, assim como dos seus órgãos. Lamenta ainda profundamente que elas tenham sido produzidas e que não tenha existido um pedido de desculpas pelas mesmas, esperando que esta situação não se venha a repetir”.

No mesmo documento, o Livre salienta que não cabe à Comissão de Ética e Arbitragem “avaliar se os pontos de clivagem ocorridos, apesar de não terem relevância disciplinar, terão ou não consequências em termos de perda de confiança política nas relações entre a deputada Joacine Katar Moreira e o Livre”.

O assembleia do Livre aponta no documento para um que a posição de que a articulação política com os eleitos pelo partido, nomeadamente entre o Grupo de Contacto, a Deputada do LIVRE e o seu grupo parlamentar, tem de ser melhorada, mas que a matriz ideológica do Livre não foi afetada”.

Contudo, a assembleia realça que no decorrer das questões colocadas a Joacine Katar Moreira, por membros da assembleia do Livre, que “a deputada não explicou cabalmente os factos relativos às falhas de comunicação com o Grupo de Contacto”, nomedamente “no voto de abstenção na resolução apresentada pelo PCP de condenação do Estado de Israel no seu ataque à Palestina”.

Pode ler-se no mesmo documento que a assembleia do Livre considera que as declarações de Joacine prestadas à comunicação social “foram gravosas para a honra e dignidade do partido, dos seus membros, apoiantes e simpatizantes, assim como dos seus órgãos. Lamenta ainda profundamente que elas tenham sido produzidas e que não tenha existido um pedido de desculpas pelas mesmas, esperando que esta situação não se venha a repetir”.

Ler mais
Relacionadas

“Não há outra forma”. Se pressão dos jornalistas continuar, assessor de Joacine volta a chamar segurança

Rafael Esteves Martins sublinhou que Joacine Katar-Moreira tem uma cultura de trabalho “de descanso, no sentido intelectual do termo” e que caso a pressão mediática continue vai voltar a pedir-se que os seguranças afastem os jornalistas porque “não haverá outra forma”.

Joacine escoltada por segurança dentro do Parlamento

Os jornalistas tentaram questionar a deputada acerca da tensão dentro do Livre, mas o seu assessor, Rafael Esteves Martins, e o segurança impediram quaisquer perguntas. “Larguem o osso”, disse o assessor de Joacine, referindo-se à deputada.

Caso Joacine: Ferro Rodrigues exige explicações à segurança do Parlamento

A secretaria-geral da Assembleia da República esclareceu hoje que os oficiais da guarda do palácio só podem acompanhar os deputados quando estiver em causa a sua segurança, na sequência do caso da aparente “escolta” da parlamentar do Livre.

Joacine Katar Moreira exige “respeito” por parte dos jornalistas

A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, exigiu hoje respeito por parte dos jornalistas, à saída da sessão plenária da Assembleia da República dedicada ao debate quinzenal com o primeiro-ministro.

Joacine critica direção do Livre: “Fui eu que ganhei as eleições sozinha”

A deputada critica duramente a direção do seu partido pela falta de apoio. O Livre reúne-se este domingo às 14h30 para abordar esta polémica, menos de dois meses depois de ter eleito o seu primeiro deputado para o Parlamento.

Livre considera “contrassenso” abstenção de Joacine Katar-Moreira no voto sobre Gaza

A direção do Livre fez saber que a abstenção da deputada única do partido “não reflete as tomadas de posição oficiais do partido sobre o tema em questão”.

Joacine explica abstenção no voto sobre Gaza com “falta de comunicação” com Livre

A deputada única do Livre, Joacine Katar-Moreira, indica que a abstenção não se tratou de “uma falta de consciência ou descaso” com a situação e pede desculpa a quem se sentiu lesado ou defraudado com a posição que adotou.
Recomendadas

PCP identifica seis cadeias de dependência externa que implicam “colonização económica e política”

Turismo, grande distribuição e a aposta no lítio e no hidrogénio não foram esquecidos na análise (muito crítica) que os comunistas fazem à economia portuguesa nas Teses que servirão de base ao XXI Congresso, que decorrerá entre 27 e 29 de novembro.

Hamas e Fatah chegam a acordo para a realização de eleições daqui a seis meses

Depois de 15 anos sem atos eleitorais, na sequência dos confrontos que resultaram da tentativa de coligação em 2006, as duas principais fações palestinianas procuram dar sinais de união numa altura em que o restante mundo árabe parece aberto à normalização dos laços com Israel.

Presidenciais: Paulo Pedroso na “estrutura organizativa” da candidatura de Ana Gomes

O ex-ministro do Trabalho Paulo Pedroso vai integrar a “estrutura organizativa” da candidatura de Ana Gomes a Presidente da República, confirmou hoje a própria numa declaração à agência Lusa.
Comentários