Lixo da Alemanha, Espanha e Malásia dá à costa em Viana do Castelo

Foram recolhidos “resíduos “estranhos” durante ações de limpeza realizadas desde 2017 na praia do Cabedelo, em Viana. Os dados revelam ser oriundos da Alemanha, Espanha e Malásia.

Dados compilados a partir de quatro ações de limpeza realizadas desde 2017 na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo, revelam terem sido recolhidos “resíduos “estranhos” que vão desde “vassouras a molas da roupa, peças de fogo-de-artifício, seringas, tampões auriculares, frascos para análises clínicas, cotonetes e fitas de identificação de hospitais”, noticia o ”Jornal de Noticias”.

Foram recolhidos cerca de “200 quilos de resíduos”, o que permitiu catalogar “6100 itens (tipos de lixo)” distintos. De acordo com a informação divulgada pela Câmara de Viana, a título de exemplo, numa das recolhas realizadas numa área de 100 metros da praia do Cabedelo “foram recolhidos 120 quilos de resíduos para caracterização, onde foram identificados 137 cotonetes, 127 beatas, 432 pedaços de plástico (2.5cm-50cm), entre outros materiais”.

A recolha, que permitiu monitorizar o tipo de lixo que dá à costa, contou com a participação de 114 voluntários de empresas locais como a Borgwaner (fábrica de componentes para automóveis), agrupamentos de escuteiros, associações de pais, escolas privadas e público geral.

Relacionadas

Associação ambientalista Zero: ”Temos que penalizar mais os carros a gasóleo e gasolina”

Francisco Ferreira disse ao Jornal Económico que há medidas que têm de ser implementadas para combater o aquecimento global e que é necessário uma ”mudança radical”. ”Portugal é um dos países mais afetados pelas alterações climáticas à escala europeia”, sublinha.

Relatório exige transformações “sem precedentes” para limitar aquecimento global

Um relatório de especialistas da ONU advertiu hoje que o mundo terá de avançar com transformações “rápidas e sem precedentes” nos sistemas de energia, transportes, construção e indústria” para limitar o aquecimento global a 1,5º Celsius.

Nobel: Ambientalistas saúdam relação economia/alterações climáticas

Organizações ambientalistas ouvidas pela Agência Lusa saudaram hoje a atribuição do prémio Nobel da Economia à associação das alterações climáticas com o comportamento da economia, considerando-a uma “viragem” e mesmo “um momento histórico”.
Recomendadas

Recolha de ares condicionados para reciclagem longe da meta para Portugal

“Esta situação é muito grave em termos ambientais”, afirma a associação ambientalista Zero.

Al Gore ‘substitui’ Barack Obama no Climate Change Leadership Porto

O Prémio Nobel e ex-vice-presidente dos Estados Unidos estará no Porto em março para uma conferência focada nos desafios que as alterações climatéricas representam para a indústria mundial do vinho.

Comissão Europeia e Bill Gates lançam fundo de 100 milhões de euros para energias limpas

Com esta iniciativa, a Comissão Europeia pretende dar mais um passo no sentido de liderar a luta contra as alterações climáticas e de cumprir o Acordo de Paris.
Comentários