“Loures? Terei todo o prazer de ligar ao secretário-geral do PS e dizer: ‘António, conseguimos!'”. Veja o “Primeira Pessoa” com Ricardo Leão

Acompanhe o programa “Primeira Pessoa” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Atual presidente da Assembleia Municipal de Loures, o deputado socialista Ricardo Leão candidata-se à presidência da Câmara de Loures para pôr fim a um “ciclo de empobrecimento, degradação, desinvestimento e até abandono” do concelho.

Na tentativa de derrotar o incumbente comunista Bernardino Soares tem contado com apoio de altas figuras do Governo na campanha e garante que nenhum dirigente do PS lhe mostrou reservas pelo efeito que um novo desaire da CDU nas autárquicas possa ter na viabilização do Orçamento do Estado para 2022.

Entre as prioridades para desenvolver Loures, Ricardo Leão destaca a necessidade de atrair empresas dos sectores da investigação e ciência, e sobretudo o máximo aproveitamento das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência.

Recomendadas

Qual o balanço dos partidos sobre os resultados eleitorais?

Na generalidade, os líderes dos partidos com representação no Parlamento consideraram que alcançaram os objetivos a que se propuseram, embora também alguns representantes partidários tenham assumido que os resultados ficaram “aquém dos esperado”.

“É muito difícil não ver na conquista de Lisboa alguns indícios preocupantes para o PS”, avalia subdiretor do JE

A capital protagonizou a grande surpresa da noite com a vitória de Carlos Moedas. Na análise aos resultados das eleições autárquicas, Leonardo Ralha, subdiretor do JE, considera que, apesar da ganhar a maioria das autarquias do país, os socialistas vão ter que analisar este resultados e perceber se refletem o desgaste do próprio Governo.
Cartazes de Carlos Moedas e Fernando Medina

Nenhum candidato chegou aos 100 mil votos pela primeira vez desde que há eleições autárquicas

Carlos Moedas e Fernando Medina protagonizaram a primeira disputa pela Câmara de Lisboa, com a exceção das intercalares de 2007, em que não houve qualquer candidato a chegar à centena de milhar de eleitores. Para trás ficam as enormes vitórias, acima dos 200 mil votos, que dos dois lados do espectro político ocorreram em 1979 e 1993.
Comentários