Lucro da Repsol cresce 37%, para 2,1 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

No acumulado de nove meses, o resultado líquido apresentado pela petrolífera espanhola é o maior dos últimos dez anos.

A petrolífera espanhola Repsol apresentou um resultado líquido de 2,1 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, o que corresponde a um aumento de 37% em comparação com igual período de 2017, de acordo com os resultados para o terceiro trimestre de 2018, divulgados esta quarta-feira. O lucro registado é o maior dos últimos dez anos, no acumulado de nove meses.

Quanto ao EBITDA  – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – registou-se um crescimento de 5,833 bilhões de euros, representando um aumento de 24% em relação ao mesmo período de 2017. Mais, observando apenas o desempenho do negócio da Repsol, resultado medido pelo lucro líquido ajustado, verifica-se um aumento de 11%, para 1,7 mil milhões de dólares, em comparação com período homólogo.

A Repsol reportou ainda ter aumentado a sua produção de hidrocarbonetos em 4%, face ao mesmo período de 2017, para uma média diária de 713 mil barris de óleo. Um crescimento suportado por projetos de exploração iniciado em Trinidad e Tobago, Argélia, Peru, Malásia e Reino Unido.

Quanto à exploração e produção, os chamados ganhos upstream, a petrolífera espanhola reportou uma faturação superior a mil milhões de euros, o dobro do resultado obtido entre janeiro e setembro de 2017. Na origem deste cresimento esteve a “implementação de medidas de eficiência, volumes mais altos e aumento dos preços internacionais”, lê-se no relatório de contas da empresa.

Já os ganhos sobre refinação, produtos químicos, marketing, lubrificantes, trading, gás natural (GPL) e gás e energia, vulgo proveitos downstream, fixaram-se nos 1,09 mil milhões de euros. As unidades de gás e energia, marketing e GPL foram as que mais cresceram.

Relacionadas

Repsol cria fundo de investimento de 85 milhões de euros para startups

Fundo ‘Repsol Corporate Venturing’ destina-se a startups que ofereçam soluções de mobilidade avançada, novos materiais, economia circular ou tecnologias digitais aplicadas à exploração de produto e aplica-se no período entre 2016 e 2020.

Repsol e Enagás desenvolvem tecnologia para produzir hidrógenio renovável

É a primeira vez que a Repsol faz parte de um acordo tecnológico no qual integra um parceiro na cadeia de valor da empresa.
Recomendadas

Consórcio de espanhóis ganha empreitada para linha férrea entre Évora e Freixo

Empreitada foi consignada hoje, dia 21 de janeiro, pela IP, à Comsa e à Constructora San José. Vale 46,6 milhões de euros e respeita à construção de 20,5 quilómetros de linha ferroviária nova para ligação a Espanha.

Banco Santander lidera Índice de Igualdade de Género da Bloomberg 2020

Para a elaboração do índice foram avaliadas 6.000 empresas de 84 países, tendo-se incluído no final 322 empresas.

BCP integra Bloomberg Gender-Equality Index pela primeira vez

A par da valorização das competências genéricas e específicas, “o Millennium bcp identifica de forma justa, e exclusivamente com base no mérito, os colaboradores com potencial e talento para virem a assumir funções de responsabilidade e complexidade acrescidas”, diz o banco.
Comentários