Lugares de estacionamento para empresas de ‘carsharing’ aumentam para 131 em Lisboa

Os lugares em causa poderão ser utilizados pelas empresas de ‘carsharing’ como a Drive Now ou Emov, entre as 8h e as 20h, mas terão de ser partilhados com empresas de cargas e descargas.

A capital portuguesa vai ter mais lugares reservados para empresas de automóveis partilhados, vulgo carsharing. Ao todo serão criados 131 lugares destinados aos veículos de empresas como a Drive Now ou Emov, fez saber o vereador da Câmara Municipal de Lisboa para a Mobilidade e Segurança, Miguel Gaspar, esta sexta-feira.

O anúncio foi feito durante o discurso do edil na conferência “Futuro da Mobilidade Urbana” que decorreu esta manhã, em Lisboa. “Estamos em condições de anunciar que nas próximas semanas vamos ter mais 40 lugares de estacionamento reservados para as empresas de carros partilhados. Em conjunto com a EMEL, já estamos a estudar a criação de mais 70 lugares até ao final do ano”, revelou.

Contas feitas, nas próximas semanas os atuais 21 lugares destinados para empresas de carsharing vão crescer para 60, sendo que até ao fim de 2019 o número total de lugares de estacionamento para este automóveis será 131. Isto é, fora do horário determinado, os referidos lugares são para cargas e descargas

Recomendadas

Pensão de Horta-Osório gera polémica interna no Lloyds

O gestor português é acusado de ter benefícios muito acima do que a instituição pratica para a generalidade dos seus funcionários. A polémica pode ‘resvalar’ para a assembleia geral de maio próximo.

Standard & Poor’s volta a subir rating do Banco BPI

Agência destaca a sólida posição do BPI no negócio de banca comercial em Portugal e uma qualidade dos ativos melhor do que os competidores domésticos.

Deutsche Bank terá emprestado 2 mil milhões de dólares a Donald Trump durante 20 anos

Antes de ser eleito, foram concedidos pelo banco alemão empréstimos no valor 2 mil milhões de dólares a Donald Trump. O relatório do ”New York Times” avança que estas cedências foram feitas num espaço de duas décadas.
Comentários