Lusófona lança pós-graduação em Turismo Gastronómico

O curso arranca a 16 de outubro e termina em março, sendo dirigido pelo gastrónomo Nuno Nobre.

A especialização da Universidade Lusófona surge numa altura em que o setor do turismo continua a crescer em Portugal e no mundo e quer proporcionar uma “compreensão multidisciplinar” das culturas de alimentos e bebidas, combinado “uma abordagem académica” para entender alimentos e bebidas em contextos históricos, culturais e contemporâneos, integrados a boas práticas de gestão de negócios de gastronomia, turismo e outros relacionados.

A formação destina-se a todos os que fazem (ou querem fazer) do turismo modo de vida ou aprofundar know-how no setor.

Com direção do gastrónomo Nuno Nobre, que vai ministrar a disciplina de Turismo Gastronómico, a pós-graduação integra no corpo docente profissionais com provas dadas em áreas distintas da gastronomia, atividade turística e de lifestyle. A saber: Fortunato da Câmara (Princípios da Gastronomia), João Rocha Neves (Turismo e Hospitalidade), Comportamento do Consumidor (Tiago Lopes Lino), Criação de Valor e Estratégia Empresarial (Álvaro Lopes Dias) e Luís Castelo (Gestão de Alimentos e Bebidas). Sandra Nobre tem à sua responsabilidade Gastronomia e Comunicação. Na área de Lifestyle: Experimento Logo Existo é ministrado por Sandra Gato e Fotografia de Gastronomia e Viagens por José Ventura.

Com a duração de 160 horas, o curso arranca a 16 de outubro e termina em março.

“Esta iniciativa inovadora e única no nosso país vai ajudar a criar novas (e necessárias competências) a quem trabalha nas várias áreas do turismo”, sublinha Mafalda Patuleia, responsável do departamento de turismo na Universidade Lusófona.

Recomendadas

Já tenho 48 anos. É tarde para mudar de emprego?

É inevitável a mudança dos profissionais que quiserem continuar a estar ativos, afirma Lourdes Monteiro, co-autora de Quero, Posso e Mudo de Carreira, ao Jornal Económico. Recomendação: não coloquem idade nem fotografia no currículo, na hora de se candidatarem a um novo emprego.

OE2019: Universidades e politécnicos vão ter mais 2%

No total, universidades, institutos politécnicos e escolas superiores não integradas poderão contar com uma dotação inicial de 1.104 milhões de euros no próximo ano.

Armatis-lc recruta para Lisboa, Porto e Caldas da Rainha

Com cerca de 2000 empregos criados em Portugal, a multinacional continua a recrutar para fazer face ao crescimento, revela ao Jornal Económico Carlos Moreira, Managing director Armatis-lc Iberia.
Comentários