Lusófona lança pós-graduação em Turismo Gastronómico

O curso arranca a 16 de outubro e termina em março, sendo dirigido pelo gastrónomo Nuno Nobre.

A especialização da Universidade Lusófona surge numa altura em que o setor do turismo continua a crescer em Portugal e no mundo e quer proporcionar uma “compreensão multidisciplinar” das culturas de alimentos e bebidas, combinado “uma abordagem académica” para entender alimentos e bebidas em contextos históricos, culturais e contemporâneos, integrados a boas práticas de gestão de negócios de gastronomia, turismo e outros relacionados.

A formação destina-se a todos os que fazem (ou querem fazer) do turismo modo de vida ou aprofundar know-how no setor.

Com direção do gastrónomo Nuno Nobre, que vai ministrar a disciplina de Turismo Gastronómico, a pós-graduação integra no corpo docente profissionais com provas dadas em áreas distintas da gastronomia, atividade turística e de lifestyle. A saber: Fortunato da Câmara (Princípios da Gastronomia), João Rocha Neves (Turismo e Hospitalidade), Comportamento do Consumidor (Tiago Lopes Lino), Criação de Valor e Estratégia Empresarial (Álvaro Lopes Dias) e Luís Castelo (Gestão de Alimentos e Bebidas). Sandra Nobre tem à sua responsabilidade Gastronomia e Comunicação. Na área de Lifestyle: Experimento Logo Existo é ministrado por Sandra Gato e Fotografia de Gastronomia e Viagens por José Ventura.

Com a duração de 160 horas, o curso arranca a 16 de outubro e termina em março.

“Esta iniciativa inovadora e única no nosso país vai ajudar a criar novas (e necessárias competências) a quem trabalha nas várias áreas do turismo”, sublinha Mafalda Patuleia, responsável do departamento de turismo na Universidade Lusófona.

Recomendadas

Católica abre portas à comunidade com ‘open day’ dedicado ao talento

Os quatro pólos da Universidade Católica Portuguesa promovem esta quarta-feira, 20 de fevereiro, um amplo debate sobre o “Talento para o Futuro”. O Jornal Económico é media ‘partner’ da iniciativa.

Professores e Governo vão reunir “nos próximos vindouros dias”, assegura ministro da Educação

Sobre o ponto de partida do Governo para a negociações com os professores, que continuam a exigir que lhes seja reconhecido o tempo de serviço congelado de nove ano, quatro meses e dois dias, Tiago Brandão Rodrigues disse que parte para a mesa negocial de “boa-fé”.

Universidade de Coimbra lança plataforma para contar lixo nas praias e defender oceanos

A plataforma ‘lixomarinho.app’ permite “a contagem simples e mapeamento de lixo marinho em praias da costa portuguesa, nomeadamente em eventos de limpeza dos areais”.
Comentários