Macau acaba 2020 com os preços dos alojamentos quase a metade

“O índice de preços da secção alojamento (-49,89%) registou a maior diminuição homóloga”, enquanto “os índices de preços das secções vestuário e calçado (-12,49%), assim como divertimento e atividades culturais (-7,56%), desceram”, acrescentaram as autoridades.

Macau acabou 2020 com os preços dos alojamentos a caírem 49,89% em relação ao ano anterior, devido ao impacto que a pandemia teve no principal setor económico da capital mundial dos casinos, foi hoje anunciado.

O Índice de Preços Turísticos no quarto trimestre de 2020 diminuiu 15,26%, “devido principalmente à redução dos preços dos quartos de hotéis e do vestuário”, indicou a Direção dos Serviços de Estatística e Censos de Macau, em comunicado.

“O índice de preços da secção alojamento (-49,89%) registou a maior diminuição homóloga”, enquanto “os índices de preços das secções vestuário e calçado (-12,49%), assim como divertimento e atividades culturais (-7,56%), desceram”, acrescentaram as autoridades.

Contudo, observou o organismo, o crescimento dos preços da joalharia compensou parte do decréscimo do Índice de Preços Turísticos no quarto trimestre de 2020.

Macau, que não regista qualquer caso de covid-19 há mais de seis meses, mantém fortes restrições fronteiriças, à exceção da China continental.

Apesar da melhoria gradual do número de visitantes, a subida é ainda muito ligeira no território, que normalmente acolhe cerca de três milhões de visitantes por mês, mas que em 2020, devido à covid-19, viu as suas operadoras de jogo a apresentarem centenas de milhões de euros em prejuízos.

De acordo com os últimos dados oficiais, no mês de novembro Macau recebeu pouco mais de 600 mil visitantes, menos 78,1% quando comparado com o mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e novembro entraram no território 5.237.441 visitantes, uma quebra de 85,6% face ao período homólogo do ano passado.

Em 2019, Macau, cuja economia depende fortemente do turismo, recebeu quase 40 milhões de visitantes.

Ler mais
Recomendadas

“Correu tudo mal”. Escândalo com abonos de família leva a demissão do Governo dos Países Baixos

Depois de ser conhecido o escândalo que envolveu milhares de famílias falsamente acusadas de fraude na atribuição de abonos, o executivo de Mark Rutte acabou por se demitir, apesar do primeiro-ministro ter inicialmente manifestado uma vontade contrária. O Governo ficará agora em gestão até às eleições de março.

Multimilionários estão 1 bilião de dólares mais ricos e contrariam queda da economia global

Com uma previsão de contração do PIB de 4,4% em 2020 e as economias mundiais a afundar consideravelmente, os multimilionários viram as suas fortunas a crescer em vários mil milhões de euros.

Governo japonês convida Comité Olímpico Internacional a elaborar um “plano B” para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Taro Kono, ministro da administração e reforma do governo do Japão, dá voz às dúvidas dos seus concidadãos sobre a celebração dos Jogos Olímpicos, levando-o a pedir ao Comité Olímpico Internacional (COI) que elaborem um “Plano B”.
Comentários