Macron faz regressar serviço militar obrigatório a França

O presidente francês, Emmanuel Macron, confirmou esta sexta-feira que vai restabelecer o serviço militar obrigatório no país, tal como tinha anunciado na campanha eleitoral.

Lionel Bonaventure / Reuters

Sem dar detalhes sobre este projeto, num discurso perante militares na base naval de Toulon, no sudeste do país, Macron afirmou que o chamado “serviço nacional universal” terá um orçamento próprio e que a sua implementação ficará sobre a alçada de vários ministérios, avança o “El Mundo”.

O presidente francês assegurou que o financiamento desse serviço obrigatório não afetará o orçamento de Defesa, que considerou “inédito” em 2018, com um aumento de 1,8% face ao ano anterior, até 34,2 mil milhões de euros.

Ciente da necessidade de reforçar a Defesa francesa, Macron reiterou a sua vontade de aumentar o orçamento anual da Defesa em 1,7 mil milhões até 2022 e em 3 mil milhões no ano seguinte, para que em 2025 represente 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O presidente assegurou que as forças armadas serão modernizadas, em particular o sistema de dissuasão nuclear e os serviços de informação militar, e ao mesmo tempo preconizou uma maior cooperação com os demais países da União Europeia.

Neste sentido, Macron garantiu que o exército francês é “cada vez mais uma referência” no âmbito continental e considerou “imprescindível” a colaboração com a Alemanha e “essencial, apesar do ‘Brexit’, com o Reino Unido”, o outro país europeu que possui armas nucleares.

Recomendadas

Duarte Lima já deu entrada na prisão para cumprir sentença de três anos e meio

Esta sentença diz respeito ao processo Homeland, relacionado com burla ao BPN. No Brasil, Duarte Lima está acusado do homicídio a 07 de dezembro de 2009 de Rosalina Ribeiro, companheira do milionário português já falecido Lúcio Tomé Feteira.

Centeno diz que 72% dos precários tiveram ‘luz verde’ para ingressar no Estado

O ministro das Finanças, Mário Centeno, disse esta sexta-feira no parlamento que 72% dos trabalhadores que recorreram ao programa de regularização extraordinária dos vínculos precários do Estado (PREVPAP) tiveram parecer favorável, recusando que haja atrasos no processo.

Governo de Costa já fez 3.282 nomeações em três anos e meio

O Governo efetuou 3.282 nomeações, com 2.342 para os ministérios e 940 para altos cargos na administração pública.
Comentários