Madeira administra mais 9.723 vacinas contra a covid-19

Já foram administradas na Madeira 69.737 vacinas contra o coronavírus. 50.269 correspondiam à primeira dose e 19.468 à segunda dose. Isto equivale a 19,8% e 7,7% de pessoas vacinadas.

A Madeira já administrou 69.737 vacinas contra a covid-19. Entre 11 e 18 de abril foram administradas mais 9.723 vacinas contra o coronavírus, quando na semana anterior esse número tinha ficado em 11.513, o mais elevado até ao momento, indicam os dados da Direção Regional de Saúde.

Do total de vacinas administradas entre 11 e 18 de abril, 50.269 correspondiam à primeira dose e 19.468 à segunda dose. Isto equivale a 19,8% e 7,7% de pessoas vacinadas.

Das vacinas administradas entre 11 e 18 de abril 8.425 eram respeitantes à primeira dose e 1.298 à segunda dose.

A taxa de cobertura de vacinação nas pessoas com mais de 80 anos está nos 91,1%, na primeira dose, num total de 10.080 vacinas, e em 80% na segunda dose, correspondente a 8.847 vacinas.

Entre os 70 e os 79 anos a taxa de cobertura fica em 71,2%, num total de 13.314 vacinas correspondentes à primeira dose. A taxa de cobertura na segunda dose é de 9,9%, o que corresponde a 1.845 vacinas.

Segue-se o grupo etário entre os 60 e os 64 anos que tem uma taxa de cobertura de 20,5%, o que correspondente a 3.227 vacinas respeitantes à primeira dose. Já foram administradas 722 vacinas respeitantes à segunda dose, o que corresponde a uma taxa de cobertura de 4,6%.

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funciona a tarifa social de água

A Tarifa Familiar da Água traduz-se na isenção dos encargos com a tarifa fixa e num desconto significativo através da aplicação da tarifa do escalão mais baixo. A tarifa social da água não é, atualmente, obrigatória, dependendo da adesão dos Municípios.

Governo da Madeira apela a responsabilidade cívica para controlo da pandemia

O vice-presidente do Governo da Madeira disse que “mais do que anunciar novas medidas, a população tem de continuar a ter cuidado na sua proteção. Se as coisas não correrem bem o Governo é obrigado a dar um passo atrás. Ninguém quer dar esse passo. Tudo estamos a fazer para manter a atividade económica e as empresas a funcionar”.

PCP considera que PRR não serve a Madeira nem o país

O PCP considera que o PRR é um instrumento que a União Europeia (UE) tenta impor aos países, que no essencial “não permite que se use as verbas para dar resposta aos problemas que cada país deve considerar como estruturais”.
Comentários