Madeira: BE considera que pavimentação do Caminho das Ginjas é um crime ambiental

O BE considera que a obra é um esbanjar de dinheiro, que serve para trazer benefício em termos de “enriquecimento rápido de alguns que tenham andado a comprar terrenos na zona e do empreiteiro que fizer a obra”.

O BE Madeira protestou contra a pavimentação do Caminho das Ginjas, afirmando que a obra se trata de um crime ambiental e um esbanjar de dinheiro que faz falta numa crise como a que estamos a atravessar.

“Quando a água é cada vez mais escassa por diminuição da precipitação e sabendo que a floresta Laurissilva é essencial para captar a água do nevoeiro e para retê-la no solo, o Governo em vez de investir para preservar a floresta vai esbanjar largos milhões para destruí-la”, afirmam os bloquistas madeirenses.

O BE Madeira diz que este asfalto não trará nenhuma benefício para o futuro, mas trará benefícios em termos de “enriquecimento rápido de alguns que tenham andado a comprar terrenos na zona e do empreiteiro que fizer a obra”.

Os bloquistas sublinham que quando existem “tantas parcelas de terrenos agrícolas abandonados pelas inexistência de acessos e da escassez de água de rega”, o executivo madeirense opta por “esbanjar milhões do orçamento da agricultura para nada – só para benefício dos amigos”.

Recomendadas

Tem lareira ou recuperador de calor? Limpeza da chaminé é fundamental para que a possa acender com segurança no inverno

Antes do período de maior frio deve-se realizar-se a limpeza periódica, eliminando a substância creosoto, assim como outros detritos que se possam acumular nas chaminés, deve ser feita por empresas especializadas. Estas devem emitir um certificado que iliba a responsabilidade dos proprietários da habitação.

António Lopes da Fonseca: “Não podemos ter medo de enfrentar o Partido Socialista na República”

O  deputado falava na sessão de encerramento das Jornadas Parlamentares, que decorreram nos dois últimos dias no Four Views Oásis, no Caniço.

Madeira: Juventude Socialista apresenta moção “Madeira 2030: Uma nova geração de Polític@s”

Sara Cerdas assina o texto relativo às políticas europeias, Olavo Câmara as políticas nacionais e Marina Barbosa as políticas regionais.
Comentários