Madeira: Carlos Pereira anuncia regulamentação do subsídio de mobilidade e 50% da comparticipação do novo hospital

O deputado do PS anunciou ainda que deve ser aprovada a “redução do IVA relacionada com a habitação social dando melhores condições ao Instituto de Habitação da Madeira e, por outro, a garantia que a Universidade da Madeira pode aceder aos fundos europeus do próximo quadro reforçando a sua capacidade de intervenção na nossa comunidade”.

O deputado do PS Madeira, eleito para a Assembleia da República, Carlos Pereira, diz que estará assegurada a regulamentação do subsídio de mobilidade e ainda 50% da comparticipação do novo hospital da Madeira no Orçamento do Estado para 2021.

“Apesar de ser necessário a continuação de um diálogo responsável entre os dois governos e a garantia que as companhias que hoje voam para a Madeira não saem da rota, o PS garantirá a aprovação da garantia da regulamentação do subsídio de mobilidade aérea e marítima, já aprovada em sede de Assembleia da República”, disse Carlos Pereira.

O deputado do PS disse ainda que o partido “defendeu desde a primeira hora, a cabal clarificação do cofinanciamento do novo hospital, de acordo com a aprovação efetuada em sede de análise de Projeto de Interesse Comum. Além disso, confirmaremos em sede da especialidade, o que há muito está em curso, mas que deve ser acelerado, o plano de remodelação de esquadras com adequado calendário”, acrescentou.

Assegurado estará também a transferência da titularidade para a Região do farol de São Jorge, sem adicionar qualquer custo para os cofres da Região, disse o deputado socialista.

“Procederemos à redução do IVA relacionada com a habitação social dando melhores condições ao Instituto de Habitação da Madeira e, por outro, a garantia que a Universidade da Madeira pode aceder aos fundos europeus do próximo quadro reforçando a sua capacidade de intervenção na nossa comunidade”, anunciou Carlos Pereira.

O socialista diz que o Orçamento do Estado para 2021 é “um dos melhores de sempre para a região autónoma”, afirmando que é “difícil compreender que exista madeirenses a votar contra”.

Carlos Pereira diz “ainda que se vai avançar ainda mais nos dossiers da Região com a garantia que nem tudo se resolve em sede orçamental. Este processo orçamental não é o repositório de todos os males que têm de ser resolvidos, alguns dos temas terão solução fora deste enquadramento e permitirão repor a justiça em matéria de determinados sectores da Região”.

O deputado do PS diz que “não abandonamos os madeirenses e não proclamamos vontades para uma dialética política sem resultados”.

Carlos Pereira referiu ainda que está a ser empreendido um esforço de modo a assegurar a aprovação do Orçamento do Estado, acrescentando que foi essencial encontrar “o caminho mais adequado para garantir que o país não fica em duodécimos com reflexos graves na Madeira”.

Ler mais
Recomendadas

Zona Franca da Madeira: Bloco diz que decisão de Bruxelas põe em causa a capacidade da Autoridade Tributária nacional e regional de exercerem fiscalização

O Bloco quer ouvir com urgência no Parlamento o Governo depois de Bruxelas concluir que a “aplicação do regime de auxílios da Zona Franca da Madeira em Portugal” não cumpre as regras europeias. O BE deixa críticas à falta de fiscalização por parte da Autoridade Tributária central e da AT da Região Autónoma da Madeira. “A Zona Franca da Madeira continuou a ser utilizada para esquemas de planeamento fiscal agressivo”, disse a deputada Mariana Mortágua. Governo regional e a sociedade que gere a Zona Franca discordam das conclusões de Bruxelas.

39 estabelecimentos de ensino do Funchal distinguidos com bandeira Eco-Escolas

O programa Eco-escola tem por objetivo reconhecer o trabalho realizado pelos estabelecimentos escolares em benefício do ambiente.

Madeira atinge recorde diário de casos positivos de covid-19

A Madeira tem 226 casos ativos de coronavírus, 42 importados e 184 de transmissão local.
Comentários