Madeira: cinco estudantes universitários integrados em programa de formação internacional da Huawei

O ‘Seeds for the Future’ está presente em mais de 130 países, tem parceria com cerca de 500 universidades, e já chegou a mais de 9.000 estudantes.

São 18 os estudantes portugueses, de cinco estabelecimentos universitários, que vão particular no programa da Huawei ‘Seeds for the Future’. Entre eles estão cinco estudantes da Universidade da Madeira (UMa), que integram as licenciaturas de  engenharia de Computadores, Informática, Electrónica e Telecomunicações.

O ‘Seeds for the Future’ iniciou-se na passada segunda-feira e prolonga-se até 25 de outubro, e é dirigido a universitários das áreas STEM (Science, Tecnology, Engineering and Mathematics), e tem como objetivo “desenvolver o talento local, potenciar a transferência de conhecimento, promover uma maior compreensão e interesse no sector das Tecnologias de Informação e Comunicação e incentivar a participação efetiva na era da digitalização”.

Até 25 de outubro os participantes no ‘Seeds for the Future’ vão abordar temas como o 5G, AI, Cloud, IoT, Smart Cities e Smarthomes, liderança e cibersegurança.

Na iniciativa estarão ainda presentes alunos da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, da Universidade de Évora, do Instituto Politécnico de Leiria e do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra.

Para o Head of Public Affairs & Communications da Huawei, Diogo Madeira da Silva, “o evidente sucesso” do Seeds for the Future é “prova absoluta” de que a empresa encara a inovação e o conhecimento como “pilares fundamentais” da sua estratégia.

Diogo Madeira da Silva acrescenta que a participação da UMa deixa a Huawei “particularmente satisfeita, dada a relação que temos com a Região Autónoma da Madeira, onde implementámos alguns dos primeiros projetos da Huawei no país”.

O Head of Public Affairs & Communications da Huawei sublinha que “é importante que estes programas vão para além dos grandes centros urbanos, de forma a contribuir para a formação de novas gerações de talento, com competências alinhadas com a transição digital. Esperamos inspirar a próxima geração de líderes através da inovação tecnológica e do intercâmbio cultural”.

Iniciativa já chegou a mais de 9.000 alunos

O ‘Seeds for the Future’ começou em 2008 e está presente em mais de 130 países, tem parceria com cerca de 500 universidades, e já chegou a mais de 9.000 estudantes.

Em Portugal a iniciativa começou em 2015 e já incluiu 70 estudantes.

Durante uma semana serão disponibilizadas aos participantes matérias no âmbito do 5G, AI, Cloud, IoT, Smart Cities e Smarthomes, assim como se pretende explorar temas de liderança e cibersegurança, com os cinco estudantes da Universidade da Madeira a juntarem-se aos também seleccionados da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, da Universidade de Évora, do Instituto Politécnico de Leiria e do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, todos a beneficiar de um conjunto de formações on-line – fruto do contexto pandémico – no âmbito das tecnologias de ponta que estão a desenhar o futuro.

Recomendadas

Equipamentos de aquecimento mais eficientes: quais os benefícios?

Referimo-nos a benefícios adicionais como o conforto térmico, a qualidade do ar, a redução do impacte ambiental ou a valorização do imóvel, cuja não consideração pode levar a que se subestime o real valor de melhorar o seu sistema de aquecimento.

Açores tem primeira loja Pingo Doce a partir de quarta-feira

A nova loja, que conta com uma equipa de 31 colaboradores, inclui um espaço de take away com comida fresca confecionada diariamente, uma área de café e bolos, venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, além das tradicionais seções de talho, peixaria, frutas e legumes e padaria e pastelaria.     

Madeira: Governo Regional vai investir 136 milhões de euros na habitação a custos controlados

O CDS considera o investimento na habitação por parte do Executivo madeirense como uma medida crucial para responder à “dificuldade” das famílias e sobretudo dos casais mais jovens, em encontrar habitação quando os preços do mercado e as rendas são “muito elevados” atualmente.
Comentários