Madeira deve utilizar 80% das verbas do React-EU em 2021

Serão utilizados 64 milhões de euros em 2021, no âmbito do React-EU, dos quais 32 milhões de euros serão para apoio às empresas, anunciou Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional da Madeira.

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, confirmou que a região deve utilizar 80% das verbas do React-EU em 2021. Serão 64 milhões de euros, dos quais 32 milhões de euros serão para apoio às empresas, acrescentou o governante, durante o debate mensal, entre executivo regional e partidos com assento parlamentar, que decorre na Assembleia Legislativa da Madeira.

O governante destacou ainda os 1.900 milhões de euros que a região deve receber, para serem executados até 2030 com o intuito de recuperar da crise causada pela pandemia da covid-19, sendo que 948 milhões de euros estarão inseridos no próximo quadro de apoio plurianual europeu.

O líder do executivo regional disse ainda que os novos fundos, disponibilizados pela Europa, não devem chegar à economia até segundo semestre. “A Madeira prevê que o primeiro adiantamento de 51 milhões de euros cheguem em outubro, para projetos a executar até 2026, em áreas como resiliência, transição climática, e transição digital.

Recomendadas

Licenciamentos registam aumento de 5% na Madeira

Foram concluídos 89 edifícios, no primeiro trimestre, menos 4,3%, face ao período homólogo. Desses edifícios concluídos 66% eram construções novas para habitação familiar.

Miguel Albuquerque: Falta vontade política para assegurar linha marítima entre o Continente e a Madeira

Miguel Albuquerque falava à margem de uma visita ao navio ‘World Voyager’, atracado no Porto do Funchal, e que está registado no Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR). Este é o primeiro navio de cruzeiros a atracar na Madeira desde a paragem pela Covid-19.

Secretários da Madeira e dos Açores com pasta do Turismo querem aprofundar parceria entre os dois arquipélagos

O governante madeirense, Eduardo Jesus, disse que o primeiro encontro entre os dois governantes serviu para “mostrar o grande interesse que a Madeira tem em aprofundar a parceria que existe hoje com os Açores, nomeadamente através da SATA, que nos garante já um voo diário entre os dois arquipélagos”.
Comentários