Madeira: levantamento e compras por multibanco caíram 8%

As compras e levantamentos, realizados através de multibanco, atingiram os 430 milhões de euros, no terceiro trimestre, na Madeira.

As compras e vendas efetuadas por multibanco, na Madeira, apresentaram uma quebra de 8%, no terceiro trimestre, para os 430 milhões de euros, indica os dados da Direção Regional de Estatística (DREM).

As operações de compra e venda por multibanco através de cartões internacionais e de cartões nacionais tiveram uma quebra de 56% e uma subida de 3%.

Os levantamentos por multibanco atingiram os 170 milhões de euros, na Madeira. Esta operação, realizada através de cartões nacionais, teve uma quebra de 1%, face ao período homólogo, enquanto que os levantamentos internacionais tiveram uma descida de 52%.

Os cartões nacionais concentraram 94% do montante total dos levantamentos realizados através de multibanco.

Nas compras por multibanco registaram-se transações de 259 milhões de euros. Através de cartões internacionais registou-se uma descida de 57%, e as compras feitas com cartões nacionais cresceram 11%.

Os cartões internacionais representaram 11% das compras efetuadas por multibanco.

Os pagamentos tiveram uma quebra de 3%.

Ler mais
Recomendadas

Saiba como pode fazer o seu dinheiro crescer com a poupança

São muitos os produtos financeiros disponíveis no mercado. Os bancos, por exemplo, comercializam muitos produtos de poupança, nomeadamente depósitos a prazo, contas de poupança, depósitos indexados e duais, com diferentes rendibilidades e riscos.

Madeira: Alargada até 31 de março de 2021 a admissibilidade de documentos expirados

Os documentos continuarão a ser aceites nos mesmos termos, após 31 de março de 2021, desde que o seu titular faça prova de que já procedeu ao agendamento da respetiva renovação.

Líder do PSD/Madeira determina adiamento do Congresso Regional

Albuquerque salienta no comunicado que a estrutura partidária “tem dado o exemplo no que toca à salvaguarda e defesa da saúde pública”, pelo que em 21 de novembro irá realizar-se apenas um Conselho Regional para “garantir a tomada de posse dos novos órgãos eleitos”.
Comentários