Madeira: PS defende Orçamento Suplementar focado no apoio às empresas e emprego

O Ps Madeira defende medidas como a suspensão da lei de finanças regionais de modo a permitir mais endividamento, a extensão do lay-off, apoio extraordinário ao setor do Turismo.

O PS Madeira considera que o Orçamento Suplementar será um momento chave, acrescentando que os socialistas estão comprometidos em interceder junto do Estado em prol dos interesses da região. O apoio Às empresas e ao emprego deve ser o foco principal.

“O aumento das despesas sociais terão um impacto muito grande nas finanças da Região, ainda para mais, com uma redução das receitas fiscais. Aquilo que tenho dito sempre é que terá de haver uma responsabilidade por parte do Governo Regional na negociação e na defesa dos melhores interesses da Madeira, mas também terá de haver uma solidariedade por parte do Governo da República”, disse Paulo Cafôfo, deputado do PS Madeira.

Cafôfo sublinha que é preciso defender a região, “não só naquilo que são as verbas que poderão vir para o Governo Regional, mas também para as autarquias da Madeira”.

Já Carlos Pereira, eleito pelo PS Madeira para a Assembleia Legislativa da República, disse que é “absolutamente essencial” construir pontes que permitam encontrar soluções para as regiões como é o caso da Madeira.

“É essencial que seja possível construir soluções com apoio da União Europeia e com apoio do Estado”, disse Carlos Pereira.

O deputado socialista sublinha que o PS Madeira é uma solução nesta equação e não um problema.

“Consideramos que há muitos aspetos e muitos dossiês que tem de ser resolvidos daqui para a frente que não se esgotam na questão da suspensão da lei de finanças regionais. Aliás, julgo importante nesta fase que todos os madeirenses percebam que a lei de finanças regionais, aprovado em 2013, que teve aliás os votos contra do Partido Socialista e os votos a favor do Partido Social Democrata, teve da parte do PS-Madeira uma posição contrária, na altura, em que argumentamos que em nenhuma circunstância aquela lei de finanças regionais poderia ser cumprida pela Região Autónoma da Madeira em virtude do excesso de endividamento que a Região tinha”, afirmou o socialista.

“É no quadro orçamental que se perspetiva alterações financeiras e, portanto, o compromisso que temos que assumir, e é nesse sentido, o de desenvolveremos todos os esforços no sentido de suspender a lei de finanças regionais e de permitir o endividamento que a Região precisa, dentro daquilo que é o mais adequado face a situação do coronavírus covid-19”.

Carlos Pereira defendeu ainda medidas como a extensão do lay-off, ou um apoio extraordinário ao setor do Turismo.

Ler mais
Recomendadas

Madeira: Sindicato dos Enfermeiros dá parecer negativo a proposta do JPP

Sendo esta uma proposta que mantém a avaliação quantitativa, que serve para o regime geral da função pública, o Sindicato entende que não se deve aplicar aos enfermeiros.

Madeira tem duas situações Covid-19 a serem rastreadas

Miguel Albuquerque referiu que está então a ser feito um trabalho de monitorização e testagem de toda a cadeia de contactos desses dois cidadãos, “no sentido de se prevenir uma situação que se pode eventualmente agravar”.

Madeira: “Não serão autorizados adeptos nos estádios em nenhuma circunstância”, diz Miguel Albuquerque

Estas medidas vão vigorar por 30 dias, sendo reavaliadas findo esse período.
Comentários