Madeira: PSD e PCP pedem ao Governo da República que faça calendarização do financiamento do Novo Hospital

O projeto de resolução do PSD diz que os 50% de financiamento do Novo Hospital deve incluir a taxa de IVA, referente à construção, fiscalização, e equipamento médico e que também não deve considerar a subtracção de qualquer valor resultante da utilização de património público regional, como por exemplo a dedução dos valores do Hospital Dr. Nélio Mendonça e do Hospital dos Marmeleiros.

O PSD apresentou na Assembleia Legislativa da Madeira um projeto de resolução, que pede ao Governo da República que aprove, em conselho de ministros, uma resolução que assegure o financiamento em 50% do Novo Hospital, e que o executivo central faça uma calendarização das verbas para a unidade hospital, uma pretensão também apresentada pelo PCP.

O projeto de resolução diz que esse financiamento em 50% deve incluir a taxa de IVA, referente à construção, fiscalização, e equipamento médico e que também não deve considerar a subtracção de qualquer valor resultante da utilização de património público regional, como por exemplo a dedução dos valores do Hospital Dr. Nélio Mendonça e do Hospital dos Marmeleiros.

O PSD defende ainda que a calendarização referentes a esse financiamento da obra do Novo Hospital deve resultar da negociação entre os Governos da Madeira e da República e não de uma “disposição unilateral”.

O PCP apresentou também um projeto de resolução para cumprimento da construção do novo hospital.

Os comunistas consideram que a construção do Novo hospital é “uma necessidade e premência” uma vez que as insuficiências na saúde “não se resolvem” com remodelações e ampliações.

O PCP diz que o Ministério da Saúde não tem prestado os devidos esclarecimentos sobre o Novo Hospital e que o Ministério das Finanças não concretizou os meios financeiros e de também multiplicar as inércias administrativas.

O partido pede ainda que se efetue uma calendarização, por parte da República, do financiamento da unidade hospitalar.

Atualizado 10.22

Ler mais
Recomendadas

Prendas e donativos acima de 500 euros são taxados pelo Fisco

Imaginemos que pelo seu casamento recebe como presente um cheque de mil euros, a lei obriga que o(s) beneficiário(s) desse valor declarem no modelo 1 das finanças e procedam ao pagamento de 10% desse valor, isto é, cem euros.

Câmara do Funchal distingue melhores presépios ecológicos

“Este ano tivemos 54 presépios a concurso, um recorde de participação, o que para nós é motivo de muita satisfação, pois é a certeza de que o nosso trabalho em prol da causa ecológica está a surtir efeito, sendo que, mantemos também acesa a tradição do Natal madeirense, com a construção dos presépios”, salientou Idalina Perestrelo.

Sara Madruga da Costa defende direito dos sem-abrigo a uma morada e ao cartão de cidadão

“É ao Governo que gere e administra o cartão de cidadão que incumbe encontrar uma solução urgente “, referiu.
Comentários