Madeira reabre parques infantis a partir de 18 de julho

Entre as normas que devem ser cumpridas estão: o uso de máscara para a crianças a partir dos 10 anos e respetivos acompanhantes, o cumprimento de distanciamento físico mínimo de dois metros, e é proibida a partilha de materiais e equipamentos.

A Madeira reabre os parques infantis a partir de 18 de julho, definiu o conselho de Governo da Madeira. contudo estes estão sujeitos a algumas restrições.

Entre estas restrições a entidade responsável pelo parque infantil tem que ter um plano de contingência e afixar as regras de etiqueta respiratória, da lavagem correta das mãos e as normas de funcionamento das instalações;

É obrigatório o uso de máscara para a crianças a partir dos 10 anos e respetivos acompanhantes, e é necessário cumprir distanciamento físico mínimo de dois metros, excepto se for do agregado familiar ou acompanhante da criança.

“As zonas de escorregas, baloiços e similares devem ter controlo de utilização, evitando aglomerados de pais e crianças, idealmente com intervalo de 3 metros”, define as normas de reabertura dos parques infantis impostas pelo executivo madeirense.

É necessário ainda a observação da etiqueta respiratória, é proibida a partilha de materiais e equipamentos bem como levar brinquedos para o parque. Entre as normas está também a colocação de dispensadores de solução antissética de base alcoólica (SABA) ou solução à base de álcool, junto à entrada do parque, entradas e saídas de casas de banho e nas zonas de escorregas e similares.

“As entidades responsáveis pelos parques devem certificar-se que estão delineados os circuitos adequados de entrada e saída, para evitar aglomerados e cruzamentos de pessoas. O acompanhante responsável pela criança deve ser portador de solução antisséptica de base alcoólica (SABA) e proceder com frequência à desinfeção das mãos da criança”, define o Governo da Madeira.

É necessário ainda o reforço da limpeza e desinfeção regulares de espaços, superfícies e equipamentos, com folha de registo de limpeza, evitar bebedouros mesmo que estes sejam de abertura com pedal e é proibido o consumo de bebidas e alimentos.

Ler mais
Recomendadas

Madeira: PS defende Plano Regional de Saúde Mental Escolar e mais recursos para os estabelecimentos de ensino

Na ótica do deputado socialista, este trabalho deverá ser feito não só dentro da escola, mas deve envolver também os centros de saúde, o SESARAM, outros técnicos e enfermeiros desta especialidade.

16% da população empregada da Madeira diz ter trabalhado a partir de casa

Daqueles que reportarem ter estado em teletrabalho, 88% diz que o principal motivo se deveu à pandemia, enquanto que no território nacional a percentagem subiu para os 91%.

Governo Regional da Madeira aprova 84 mil e 500 euros em contratos-programa

São três contratos-programa no valor de 60 mil, 15 mil e 9 mil e 500 euros.
Comentários