Madeira reforça vigilância com sistema de detecção remota de incêndios florestais

O protótipo deste sistema de detecção possui uma torre equipada com câmaras de controlo remoto, instalado nas serras do Funchal. A ideia passa ainda por instalar mais cinco câmaras de modo a cobrir cerca de 50% da área florestal da Madeira, disse o presidente do Governo Regional.

A Madeira instalou um sistema de detecção de incêndios florestais, no valor de 700 mil euros, com o intuito de complementar as funções do Serviço de Protecção Civil e do Instituto de Florestas, anunciou o executivo madeirense.

“O nosso sistema baseia-se na vigilância, temos torres de vigilância e patrulhamento móvel no âmbito do POCIF (Plano Operacional de Combate a Incêndio Florestais) e este é um projeto-piloto que vem complementar todo o trabalho de prevenção e deteção de incêndios que já é feito pela Proteção Civil e pelo Instituto das Florestas”, disse o presidente do Governo Regional.

Miguel Albuquerque fez estas declarações durante a apresentação do protótipo do novo sistema, uma torre equipada com câmaras de controlo remoto, instalada na zona do Paredão, nas serras do concelho do Funchal.

“A ideia é avançar com a colocação de mais cinco câmaras para cobrir cerca de 50% da área florestal da Madeira, nas zonas mais propícias à ignição de incêndios e com capacidade para abarcar áreas vastas”, explicou Miguel Albuquerque, vincando que se trata de um “sistema fiável”.

Os equipamentos permitem detetar fogos com cerca de dois metros quadrados a cinco quilómetros de distância, sendo que as câmaras têm também capacidade para fazer ‘zoom’ de áreas a dez quilómetros de distância.

Numa demonstração efetuada no local, o equipamento de georreferenciação detetou em apenas três minutos um pequeno fogo localizado a três quilómetros, já nas serras do concelho de Câmara de Lobos, a oeste do Funchal.

Miguel Albuquerque disse que o sistema deverá estar totalmente montado dentro de seis meses.

O projeto é liderado pela Secretaria Regional dos Equipamentos e Infraestruturas, através do Laboratório Regional de Engenharia Civil, e conta com financiamento comunitário via POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Recomendadas

Coligação Funchal Sempre à Frente acusa de CNE de legitimar “vale tudo” ao arquivar queixa contra António Costa

Mandatário da coligação de centro-direita funchalense insurge-se contra a CNE por “dualidade de critérios e juízos” na avaliação do que alega ter sido uma violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade do primeiro-ministro em benefício da Coligação Confiança, apoiada pelo PS.

Mafalda Gonçalves defende contratação de mais bombeiros para Santa Cruz

A corporação é composta por 57 elementos, sendo que há mais de 20 anos que não há renovação de quadros, razão pela qual, Mafalda Gonçalves diz ser “urgente a abertura de concurso para a entrada de cerca de 30 novos elementos”.

Tenha atenção aos falsos intermediários de crédito no Facebook, alerta Deco

Se quiser consultar a lista das entidades autorizadas a conceder crédito em Portugal, a atuar como intermediários de crédito ou a prestar serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito poderá fazê-lo no sítio do Banco de Portugal, em www.bportugal.pt ou no Portal do Cliente Bancário https://clientebancario.bportugal.pt.
Comentários