Madeira: Transportes públicos circulam com horário de sábado

Esta foi uma medida imposta pela Direção Regional de Economia e Transportes Terrestres (DRETT) às companhias Horários do Funchal, Companhia dos Carros de São Gonçalo, Empresa de Automóveis do Caniço, SAM e Rodoeste, que ficam também obrigados à redução da lotação para um terço da capacidade dos autocarros.

Os transportes públicos rodoviários de passageiros a operar na Região Autónoma da Madeira (RAM) começaram a partir desta sexta-feira a circular com horário de sábadp aos dias úteis.

Esta foi uma medida imposta pela Direção Regional de Economia e Transportes Terrestres (DRETT) às companhias Horários do Funchal, Companhia dos Carros de São Gonçalo, Empresa de Automóveis do Caniço, SAM e Rodoeste, que ficam também obrigados à redução da lotação para um terço da capacidade dos autocarros.

A questão da lotação foi decidida em Conselho de Governo, tratando-se de “um ajustamento necessário, resultante das novas medidas de contingência, face à declaração de Estado de Emergência”, refere o Gabinete do Secretário Regional de Economia.

O Gabinete realça ainda que a redução do horário de circulação permite assegurar uma reserva de motoristas para necessidades futuras, garantido a continuidade da prestação do serviço público de transporte de passageiros na Região.

A DRETT alerta todos os passageiros para uma menor regularidade de transportes e aconselha a consulta dos horários online ou nas respetivas paragens.

Recomendadas

Madeira atinge os 50 casos positivos de coronavírus

Esta semana termina a quarentena obrigatória para um primeiro grupo que cumpre o isolamento em unidade hoteleira. Neste sentido, foram já realizados 27 testes de rastreio à Covid-19 que aguardam resultado.

Cartões contactless com novo limite de 50 euros

Esta medida surge no âmbito da pandemia da COVID 19, procurando assim o Governo alargar e manter as recomendações de distanciamento social, incentivando-se os pagamentos “sem contacto”.

Linha de apoio a empresas da Madeira de 100 milhões de euros tem acesso universal

O início da operação será entre 20 e 24 de abril, e o período de vigência até 31 de dezembro de 2020. Se existir quebra de faturação de 40% e se as empresas mantiverem os postos de trabalho no período de carência de 18 meses o apoio transforma-se em fundo perdido.
Comentários