Maior exercício de sempre da Proteção Civil arranca hoje com três mil operacionais no terreno

Este exercício conta com mais de 60 diferentes cenários, nos distritos de Lisboa, Aveiro, Évora e Setúbal, e decorre até 1 de junho.

Portugal realiza a partir de hoje, 28 de maio, e até 1 de junho o exercício europeu de Proteção Civil, o maior de sempre em território nacional. Organizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil  (ANEPC), com a colaboração da Direção-Geral da Autoridade Marítima e cofinanciado pela União Europeia,  vai mobilizar milhares de operacionais e equipas de cinco  países europeus, em cerca de 20 localidades dos distritos de Aveiro, Évora, Lisboa e Setúbal e abrangendo mais de 60 cenários distintos. É o chamado CASCADE’ 19 co-financiado pela Comissão Europeia no quadro do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia.

“No exercício participam equipas de Espanha, França, Bélgica, Alemanha e Croácia, mobilizando no total mais de 3000 participantes, estrangeiros e portugueses. Visa testar e treinar a resposta a situações de emergência múltiplas que possam ocorrer em cascata (sismo, cheias, acidente químico, rutura de barragem e poluição marítima) em território nacional”, avança a Polícia de Segurança Pública (PSP) na sua página de Facebook. A PSP dá conta que trata-se de um LIVEX (Live Exercise) com mais de 60 diferentes cenários, nos distritos de Lisboa, Aveiro, Évora e Setúbal.

O exercício, cofinanciado em 80% pela Comissão Europeia, tem um custo de 1,3 milhões de euros, conta, para além da ANEPC, com a participação de cerca de 150 operacionais de Espanha, Bélgica, Alemanha, Croácia e França.

No total vão estar envolvidos 22 municípios que vão ter 40 cenários diferentes para testar a capacidade das respostas local, nacional e internacional, segundo a ANEPC que já sinalizou o

ponto de partida para este exercício europeu: a ocorrência de um episódio de condições meteorológicas adversas no distrito de Aveiro e de um sismo no sul do país com impactos na zona de Lisboa, Setúbal e Évora.

A partir destes dois eventos acontecem uma série de ocorrências, como acidentes químicos e radiológicos em barragens e em complexos industriais, inundações, poluição no mar e desastres rodoviários, ferroviários e marítimos.

Estas diferentes ocorrências vão permitir a intervenção no terreno de equipas com valências e capacidades distintas, nomeadamente buscas e salvamento, evacuações, emergência médica, mortuária, apoio social e psicológico e acolhimento de equipas internacionais.

O CASCADE’19  pretende testar a resposta conjunta nacional, o exercício pretende também melhorar a capacidade de resposta no quadro do Mecanismo Europeu de Proteção Civil e avaliar a capacidade de integrar os meios de outros países. Visa, assim, garantir procedimentos homogéneos entre os diferentes países em relação ao acolhimento de equipas internacionais.

O exercício vai permitir aprovar uma diretiva operacional nacional para acolhimento de assistência internacional.

Ler mais
Recomendadas

Unidades de investigação nacionais captaram mais 34 milhões de euros de fundos comunitários

As áreas da saúde e da engenharia representam 77% dos novos projetos aprovados no programa ‘Widening’ do Horizonte 2020.

Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes doam cinco ventiladores à Madeira

Para o Governo Regional, “a cedência destes equipamentos ao SESARAM e à Região vai aumentar a capacidade de resposta ao doente crítico no combate à pandemia”, juntando-se aos 99 ventiladores de que a região dispõe.

Governo legaliza estrangeiros em situação irregular 

O diploma “determina que a gestão dos atendimentos e agendamentos seja feita de forma a garantir inequivocamente os direitos de todos os cidadãos estrangeiros com processos pendentes no SEF, no âmbito da covid-19” e argumenta com a necessidade de dar resposta aos pedidos destes estrangeiros em Portugal em situação irregular.
Comentários