Maior queda dos últimos 40 anos. Economia do Reino Unido contraiu 2,2% no primeiro trimestre

O gabinete de estatísticas nacionais (ONS, sigla inglesa) reviu em baixa a estimativa anterior, ao anunciar uma contração da economia britânica em 2%, com os principais setores que movem a economia em queda.

EPA/VICKIE FLORES

A economia do Reino Unido contraiu 2,2% durante o primeiro trimestre, de acordo com estimativas do gabinete de estatísticas do Reino Unido. Esta é a maior quebra dos últimos 40 anos, provocada sobretudo pelo efeito Covid-19, sendo que essa queda foi revista em alta pelas autoridades estatísticas britânicas.

O gabinete de estatísticas nacionais (ONS, sigla inglesa) reviu em baixa a estimativa anterior, ao anunciar uma contração da economia britânica em 2%, com os principais setores que movem a economia em queda. Entre janeiro e março, o setor dos serviços foi o mais afetado, caindo 2,3%, seguindo-lhe uma quebra de 1,7% na construção e de 1,1% na indústria.

Segundo o gabinete estatístico, o impacto económico mais significativo foi observado em março, quando a pandemia começou a fazer-se notar em território britânico. Só no mês de março, os dados mostravam que o PIB britânico tinha contraído 5,8% face ao mês anterior devido ao início do confinamento dos cidadãos e dos setores, um valor atualizado agora para 6,9%.

O ajuste dos valores da contração da economia foi divulgado esta terça-feira, depois de em maio o ONS ter fixado a contração em 2%. O responsável pelo ONS, Jonathan Athow, afirmou que “uma análise mais detalhada da economia do primeiro trimestre mostrou que o PIB encolheu mais do que o estimado”.

“As informações do governo mostram que as atividades relacionadas com a saúde caíram mais do que mostrámos anteriormente”, sustentou Athow. “Todos os principais setores da economia encolheram significativamente em março, com os efeitos da pandemia”, refere.

O ONS estima que os efeitos do confinamento sejam ainda mais visíveis no segundo trimestre, uma vez que o confinamento só começou a 23 de março. Dados recentes do gabinete estatístico mostram que a economia afundou 20,4% em abril, a maior quebra registada num único mês desde que há registos.

A contração agora confirmada pelo gabinete de estatísticas mostra que a economia contraiu três vezes mais do que em toda a crise económica de 2008 e 2009.

Recomendadas

“Está na hora de libertar a economia”, diz Iniciativa Liberal

“Vamos naturalmente esperar por quinta-feira para ver o que o Governo nos diz”, disse o candidato à autarquia de Lisboa, acrescentando que “estas decisões não podem estar a ser tomadas naquilo que são os calendários eleitoralistas nomeadamente das autárquicas”. 

Portugal aloja sete das 366 fábricas da UE para produção de vacinas

GenIbet Biopharmaceuticals, Neutroplast, Bluepharma – Indústria Farmacêutica, IMMUNETHEP, os Laboratórios Basi – Indústria Farmacêutica e a Stemmatters, Biotecnologia e Medicina Regenerativa são os sete centros onde estas vacinas são produzidas.

PSD saúda revisão da “matriz de risco” e pede que “recomendações se reflitam no Conselho de Ministros”

o PSD “espera que aquilo que são as recomendações dos especialistas sejam refletidas rapidamente no conselho de ministros” e que esta articulação com os sectores mais afetados da economia, como é o caso do turismo.
Comentários