PremiumMaioria das empresas afasta crescimento da economia em 2021

Nove em cada 10 inquiridos defendem que novas vagas da pandemia, com o aparecimento de novas estirpes, podem levar PIB a travar neste ano.

Novas vagas da pandemia de Covid-19, com o aparecimento de novas estirpes, como a variante inglesa que ditou o novo confinamento geral em resposta à terceira vaga, podem levar a que o Produto Interno Bruto (PIB)português não aumente este ano, segundo 88,73% dos participantes no barómetro de fevereiro da ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda.

Os resultados passarão a ser publicados todos os meses, permitindo acompanhar a evolução das expectativas quanto à recuperação da economia nacional.

A falta de confiança dos inquiridos no crescimento do PIB prende-se com o impacto negativo na economia das novas vagas da pandemia que levam a medidas restritivas para travar o crescimento dos contágios, com Portugal a bater o recorde de casos Covid-19 durante o mês de janeiro e a colocar o SNS sob pressão, o que acabou por ditar um novo confinamento geral, pelo menos até 14 de fevereiro.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Laboratórios de análises clínicas faturaram 520 milhões de euros em 2020

“A estimativa para 2021 aponta para que a evolução positiva da faturação deste setor se mantenha, quer devido à continuação da testagem, quer porque a atividade normal destas clínicas deverá entrar em recuperação”, revela a Informa D&B.

“Vamos a isto!”. João Leão garante que Governo está motivado para executar PRR “de forma célere” (com áudio)

Após a chegada do primeiro cheque de 2,2 mil milhões a Portugal, o ministro das Finanças garante que o Governo vai executar o PRR “de forma célere”, sublinhando que o plano “dará um relevante contributo para melhorar a vida de todos e de cada um dos portugueses”.

PRR. Portugal já recebeu 2,2 mil milhões de euros dos fundos europeus (com áudio)

O primeiro “cheque” da Comissão Europeia no valor de 2,2 mil milhões de euros para o Plano de Recuperação e Resiliência chegou hoje a Portugal. O país deverá receber, no total, 16,6 mil milhões de euros ao longo do período de vigência do seu plano.
Comentários