Mais 43 startups juntam-se ao portefólio da Portugal Ventures num investimento de 6,6 milhões de euros

A sociedade de capital de risco nacional investiu em 40 escolhidas no concurso Call Innov-ID (4 milhões de euros) e em três no âmbito da sua atividade normal de financiamento ao empreendedorismo (2,6 milhões de euros).  

A sociedade de capital de risco Portugal Ventures (PV) começou o ano de 2021 com um portefólio de mais de 130 startups, depois de ter feito um investimento de 6,6 milhões de euros em 43 empresas: 40 escolhidas no concurso Call Innov-ID (4 milhões de euros) e três no âmbito da sua atividade normal de financiamento ao empreendedorismo (2,6 milhões de euros).

Assim, no portefólio da PV estão agora 43 empresas na área digital, 49 de engenharia e indústria, 20 com soluções relacionadas com ciências da vida e 26 turismo. Para o vice-presidente, este crescimento no portefólio é mais um passo na “dinamização do ecossistema empreendedor português”.

“Reflete o esforço de investimento feito em 2020, com vista a apoiar, num contexto adverso de pandemia, empresas com grande potencial de crescimento internacional, muitas delas com soluções assentes em I&D e com impacto real em setores estruturantes para a economia portuguesa, como a saúde, a biotecnologia, as tecnologias de informação, o turismo e a energia”, diz Rui Ferreira.

Bandora, Clever-Volume, BestHealth4U, Smart Monitoring, United Boutiques, Theia, Wisify, YesYesYes, Neural Solar ou Landratech são algumas das 40 empresas em fase pré-seed que se destacaram entre as 117 candidaturas recebidas na ‘chamada’ lançada em maio de 2020 (Call Innov-ID).

Quem as três startups que se juntaram ao portefólio no âmbito da atividade normal de investimento da Portugal Ventures?

CleanWatts – Empresa cleantech com plataformas digitais para simplificar, ampliar e acelerar a descarbonização de energia para empresas e comunidades em todo o mundo, através de duas áreas de criação de valor para os seus clientes: eficiência energética e comunidades de energia. Ao combinar capacidades multidisciplinares em sistemas de energia, desenvolvimento de software, serviços digitais, gestão de operações, a Cleanwatts diz-se capaz de transformar a complexidade inerente à transição energética numa proposta de valor simples para os clientes: energia limpa, inteligente, de origem local e a preço inferior ao da rede.

Hub Hostels – Cadeia nacional de hostels que pretende desenvolver uma rede de diferentes unidades de alojamento, distribuídos na Península Ibérica, muito além dos hostels. Atualmente, conta com seis unidades, entre elas uma unidade para estadias de longa duração e uma guest house, e duas marcas associadas: HUB (urbano/cultura) e AKTION (atividades/lazer), localizados em Lisboa, Ericeira e Peniche. Já estava a ser seguida pela PV há seis meses.

Merytu – Aplicação de recursos humanos que permite às empresas no sector da hotelaria e restauração reforçarem as suas equipas com profissionais qualificados pelo período que necessitem, num processo intuitivo e transparente. Esta solução automatiza matching de perfis, pagamentos, seguros e todos os processos burocráticos legais ou administrativos. A nova solução – que tem parceiros como Santander, Tranquilidade e Magnifinance – alega eficiência de custos, de tempo gasto nos processos e uma seleção criteriosa por desempenho do profissional. Já para os profissionais, alia a tecnologia na gestão da carreira, com ganhos acima da média e possibilidades de evolução.

Ler mais
Recomendadas

Sines vai arrancar com o projeto do Data Centre Campus

A cerimónia de apresentação do projeto será presidida pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Plano de Recuperação e Resiliência deixou cair cinco projetos rodoviários, mas Governo garante financiamento nacional

Os cinco projetos que deixam agora de contar com financiamento do PRR são o IC35 – Sever do Vouga/IP5(A25); ligação ao IP3 dos concelhos a sul; IC31 – Castelo Branco/Monfortinho; EN341 – Alfarelos (EN342)/Taveiro (acesso ao terminal ferroviário de Alfarelos); e IC6 – Tábua/Folhadosa.

Projeto de lítio para a mina do Barroso entra em consulta pública

Caso não haja atrasos, a concessionária Savannah prevê receber a DIA em agosto de 2021. Dependente dos resultados do EIA, a construção deve iniciar-se em 2022, prevendo-se alcançar a produção comercial em 2023.
Comentários