Mais de 85% das empresas portuguesas não cumpriu prazos de pagamento a fornecedores

Os dados são da Informa D&B e mostram que as empresas portuguesas demoram, em média, 71 dias para cumprir os prazos, sendo consideradas das piores pagadoras em todo o mundo.

Mais de 85% das empresas portuguesas não cumpriu os prazos de pagamento acordados com os fornecedores, em 2018. Os dados são da Informa D&B e mostram que as empresas portuguesas demoram, em média, 71 dias para cumprir os prazos, sendo consideradas das piores pagadoras em todo o mundo, avança o jornal “Expresso”.

A média europeia de empresas que cumprem os prazos de pagamento era três vezes superior à de Portugal, no final do ano passado. A Polónia é, no grupo de 35 países analisados pela Informa D&B, o país onde as empresas mais pagam dentro dos prazos estabelecidos (79,3%). Já em Portugal, em igual período, só 14,2% das empresas pagavam dentro dos prazos.

O incumprimento dos prazos a nível nacional aumentou 7,5%, entre 2007 e 2018. No ano passado, o valor a pagar a fornecedores ascendia a 49,8 mil milhões de euros, o que corresponde a 27% do Produto Interno Bruto (PIB). Em termos de cumprimento de prazos, Portugal fica abaixo de Israel (com uma taxa de cumprimento de 18%) e da Roménia (20%).

Recomendadas

Infraestruturas de Portugal lança concurso público para requalificação do Túnel do Grilo

A verba estimada para esta obra é de 10 milhões de euros, que será destinada para a requalificação da infraestrutura e dos sistemas de segurança do Túnel do Grilo, localizado no lanço Olival de Basto / Sacavém do IC17 – CRIL, em Lisboa.

Tobias C. Pross é o novo CEO da Allianz Global Investors

Tobias C. Pross era até então diretor global de distribuição e trabalha há mais de 20 anos no grupo. Deborah Zurkow sobe a diretora global de investimentos, cargo até então exercido também por Andreas Utermann.

Novo crédito à habitação em setembro soma 915 milhões de euros, diz Banco de Portugal

Em setembro os volumes de novas operações para habitação, consumo e outros fins totalizaram 915, 462 e 284 milhões de euros, respetivamente, avança ao Banco de Portugal.
Comentários