Mais de 96 mil terminais já aceitam pagamentos por Apple Pay

Para que o pagamento seja efetuado nestes terminais, basta ter a Apple Pay ativa no equipamento da marca da maçã, e então aproximá-lo do terminal de pagamento da Redunicre que disponibilize a funcionalidade. 

REUTERS/Issei Kato

A Apple Pay chegou a Portugal no passado dia 26 de junho, e mais de 96 mil terminais já aceitam pagamentos por este método. Considerada a maior rede de aceitação de pagamentos em cartão em Portugal, a Redunicre aceita agora pagamentos através de iPhone ou Apple Watch nos terminais contactless. 

Para que o pagamento seja efetuado nestes terminais, basta ter a Apple Pay ativa no equipamento da marca da maçã, e então aproximá-lo do terminal de pagamento da Redunicre que disponibilize a funcionalidade.

Frederico Gomes, responsável pela área de negócio da empresa, confirmou que o potencial de crescimento destas soluções de pagamento, complementadas com novas funcionalidades, estão a surgir no mercado, sublinhando que a Unicre está atenta aos novos paradigmas de pagamentos.

Durante o último ano, a Redunicre registou um crescimento superior a 100%, correspondendo a mais de 35 milhões de pagamentos em Portugal. Para o presente ano, estimam que a taxa de crescimento seja igualmente positiva.

O serviço de pagamentos móveis Apple Pay chegou a Portugal pelo Crédito Agrícola, N26, Mastercard, Monese, Revolut e Visa.

Recomendadas

EDP Renováveis fecha contrato de aquisição de energia de 15 anos para um projeto eólico no Canadá

A EDP Renováveis fechou um contrato com a TransCanada Energy para a venda da energia verde do seu parque eólico de Shap Hills, no Canadá.

Aon e Firma estabelecem parceria para soluções globais de financiamento das empresas

Bernardo Theotónio-Pereira explica a parceria com “as necessidades actuais das empresas” que “passam, na sua maioria, por soluções de tesouraria e de funding céleres e independentes da burocracia e lentidão da banca nacional e/ou de outros players ou fundos ‘abutres’ que se instalaram em Portugal ”.

Quem é a Evergrande e porque está a assustar os mercados mundiais?

A iminência de incumprimento por parte do gigante chinês do imobiliário fez tremer os mercados e há já quem tema um impacto sistémico de elevadas proporções. O Jornal Económico falou com analistas do mercado e com o CEO da Vanguard Properties, que deram a sua visão sobre o que se passou com a Evergrande e que impacto pode ter no mercado.
Comentários