PremiumMantém-se impasse entre Nowo e restantes operadores pela Champions

Eleven diz que “a bola está do lado dos operadores”, que criticam a atuação da empresa e o processo negocial que está a ser conduzido pela Nowo. Negociações continuam, mas sem perspectivas de serem finalizadas, a duas semanas do início da prova.

O impasse entre a operadora Nowo – que detém os direitos da Liga dos Campeões da UEFA para Portugal, por acordo com a Eleven Sports – e os restantes operadores de telecomunicações mantém-se, a duas semanas de arrancar a competição, sem que haja qualquer perspetiva quanto à disponibilização destes conteúdos nas diferentes redes de televisão por cabo.

Em declarações ao Jornal Económico, o diretor não executivo da Eleven Sport, Pedro Pinto, diz que as negociações continuam, mas aponta o dedo à Meo, Nos e Vodafone pela inexistência de um acordo. Considera que a aproximação do início da Liga dos Campeões e a participação do Futebol Clube do Porto e do Sport Lisboa e Benfica na prova pressionam os operadores. “É inimaginável que quando começar a Liga dos Campeões, a 19 de setembro, os adeptos portugueses não tenham acesso a estes jogos, de uma competição que é a joia da coroa”, diz. “Esperamos que os outros operadores coloquem os interesses dos clientes à frente dos interesses próprios e políticos”, acrescenta.

Em resposta, em declarações ao Jornal Económico, fonte oficial da Altice Portugal, que detém a Meo, “estranha a interferência contínua da Eleven Sports num tema em que não estão envolvidos directamente”, o que entende como “uma pressão abusiva sobre um processo negocial que se pretende justo e que defenda os interesses dos nossos clientes, algo de que não abdicamos”.

Também a Vodafone “não se revê nesta afirmação, muito pelo contrário”. Em declarações ao Jornal Económico, fonte da empresa nega qualquer bloqueio à entrada do novo canal no mercado português e sublinha que a operadora tem como objetivo “disponibilizar sempre a melhor e mais alargada oferta de conteúdos em Portugal” e confirma a continuação do processo de negociação com a Nowo, “de forma a assegurar a disponibilização destes conteúdos aos nossos Clientes, tão breve quanto possível”.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Ler mais
Recomendadas

PremiumGoverno enviou Margarida Corrêa de Aguiar e Caldeira Cabral para a CRESAP

O Ministério das Finanças quer acelerar as nomeações do regulador dos seguros por causa da reforma da supervisão financeira.

PremiumEstado investe 140 milhões de euros no Porto de Leixões

As empresas privadas a operar no Porto de Leixões têm investido no aumento da capacidade de resposta daquela infraestrutura e na modernização das operações, mas estão à espera que o Governo faça a sua parte.

PremiumVentos de abrandamento irão continuar a soprar

Crescimento do PIB de 2,1% em 2018, abaixo do valor do ano anterior e das expetativas do Governo, não deverá significar o fim da desaceleração económica. Pessimismo das instituições internacionais está em sintonia com todas as projeções para 2019.
Comentários