“Maquiavel para Principiantes”. “Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”

“Amnésia rima com impunidade. Sabem que são os portugueses que pagam os seus calotes e vai continuar o gozo. Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”, destacou Rui Calafate no podcast do JE.

O presidente do Conselho de Administração da Promovalor, Luís Filipe Vieira, fala perante a Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, na Assembleia da República, em Lisboa, 10 de maio de 2021. TIAGO PETINGA/LUSA

 

Na última edição do podcast do JE “Maquiavel para Principiantes”, da autoria do consultor de comunicação Rui Calafate, foi abordada a “aparente amnésia” que, de acordo com o especialista, parece contagiar os protagonistas que têm marcado presença na Comissão Parlamentar de Inquérito referente às perdas registadas pelo Novo Banco.

“Amnésia rima com impunidade. Sabem que são os portugueses que pagam os seus calotes e vai continuar o gozo. Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”, destacou Rui Calafate no podcast do JE.

O presidente da Promovalor, Luís Filipe Vieira, que é simultaneamente presidente do Benfica, foi ouvido na passada segunda-feira na Comissão Parlamentar de Inquérito às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução no âmbito das audições que os deputados estão a fazer aos grandes devedores do banco.

 

 

Relacionadas

Da amnésia nas CPIs à dimensão do movimento #MeToo em Portugal. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.
Recomendadas

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.

Resolução do BES seria sempre preferível à liquidação, defende Vítor Constâncio

Vítor Constâncio reiterou que “naquela circunstância, naquele momento, com aqueles dados finais do final de julho, não havia outra alternativa melhor do que encaminhar-se para um processo de resolução”.

António Horta-Osório condecorado pela rainha Isabel II com título de ‘Sir’

O antigo presidente-executivo do banco Lloyds foi reconhecido pela monarca pelo “serviço importante para os contribuintes do Reino Unido nos últimos 10 anos, liderando o Lloyds Banking Group da beira do colapso de volta à lucratividade”. 
Comentários