PremiumMarcantonio del Carlo: “Esta é uma profissão em que é preciso suar, chorar, mas também ter sorte”

O italiano, de 55 anos, radicado em Portugal desde os 15, está em digressão com a peça “Amado Monstro”, na qual, além de intérprete, é o responsável pela adaptação para português. Integra ainda o elenco do remake de “O Pai Tirano”, que estreia este ano e será também uma minissérie na SIC, em 2022. Mas é como argumentista que mais se “realiza na totalidade enquanto artista”. É nesse papel que define assim: “Só sou eu, ideias, histórias e um teclado de computador. Tudo depende só de mim até chegar a um palco ou a um plateau.”

Marcantonio del Carlo anda “na estrada” a fazer o que mais gosta: representar. A peça que leva consigo é “Amado Montro”, a adaptação da obra com o mesmo nome, do reconhecido romancista espanhol Javier Tomeo. Conta a história de um homem que, subjugado pela mãe, só aos 47 anos se candidata ao primeiro emprego, guarda noturno da garagem de um banco. Durante a entrevista, liderada pelo diretor de recursos humanos, os dois homens descobrem que ambas as mães são possessivas, criando uma empatia pouco esperada neste tipo de situações. Porém, ambos têm algo a esconder, tanto no passado, como no presente. A tradução da peça para português foi feita por Marcantonio Del Carlo, que também assina, desta vez a duas mãos com João Didelet, a encenação e a direção plástica. Ainda em 2021 vai também estar presente na nova versão do filme histórico “O Pai Tirano”, que tem estreia prevista para o final do ano e que vai ter duas versões, uma em formato filme, para cinema, e outra em minissérie para televisão, que será exibida em 2022 na OPTO SIC.

Presença constante nos ecrãs
O italiano, radicado em Portugal desde os 15 anos, estreou-se em televisão em 1990, no elenco da série “O Cacilheiro do Amor”, realizada por Nicolau Breyner. Seguiram-se várias telenovelas, entre as quais “Jardins Proibidos”, “Saber Amar”, “Inspetor Max”, “Tempo de Viver”, “Morangos com Açúcar”, “Poderosas”, “A Impostora”, “Alma e Coração” e, mais recentemente, “Terra Brava”, na SIC.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumA grande festa do vinho português

Ao fim de um ano de interregno devido à pandemia, regressa este fim-de-semana ao pavilhão 4 da FIL, no Parque das Nações, em Lisboa, a feira Vinhos & Sabores. Prova da grande expectativa em torno deste certame é o facto de já estarem confirmados mais de 300 produtores de todas as regiões do País, para participar nesta grande festa de celebração do vinho português.

Emoções fortes no Portugal Air Summit

A quinta edição do Portugal Air Summit culmina com um fim-de-semana cheio de entretenimento e animação, proporcionando a todos os visitantes uma experiência lúdica inesquecível.

PremiumGilles Lipovetsky: “A inteligência é a única riqueza da Europa”

O olhar acutilante do pensador francês sobre a sociedade contemporânea é sempre um ponto de partida estimulante para saber em que ponto de (des)equilíbrio nos encontramos. Gilles Lipovetsky não abdica do seu “fundo otimista” e considera que temos os meios para resolver a grande crise que hoje enfrentamos, a crise climática. Mas sublinha que “a humanidade não irá evoluir pela via da moral”. É fundamental inovar e mudar os modelos de produção, diz-nos.
Comentários