Marcelo anuncia que cerca sanitária de Odemira é levantada hoje

O Presidente considerou ainda que o país “tem de retirar muitas consequências políticas” quanto aos trabalhadores em situação precária em Odemira.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou, esta terça-feira, que a cerca sanitária de Odemira será levantada.

“Fui informado pelo primeiro-ministro de que, assim sendo, seria levantada a cerca sanitária de imediato, hoje mesmo. O que significa que acabou por fazer caminho uma solução de que se falou há uns dias, que era uma situação que permitisse ultrapassar, por um lado, as questões jurídicas e, por outro lado, as questões pessoais e sociais”, disse Marcelo em Caminha.

O Presidente considerou ainda que o país “tem de retirar muitas consequências políticas”. “Tem de se fiscalizar para saber como é por respeito à legalidade, tem de se apurar se há ou não uma situação que convida àquilo que são atuações criminais, tem de se pensar a sério no problema dos imigrantes que estão cá dentro, que trabalham”, sublinhou o Chefe de Estado.

“Fala-se de inclusão mas a inclusão é muito relativa, Isto não pode depender de haver problemas de saúde que chamam à atenção para o facto”, referiu Marcelo Rebelo de Sousa.

É esperado que o primeiro-ministro também se pronuncie, esta terça-feira, sobre Odemira sendo que António Costa deslocou-se até ao município para uma reunião de trabalho e assinatura de Protocolos tendo em vista dar resposta às necessidades habitacionais verificadas no concelho.

O Governo definiu cerca sanitária para duas freguesias de Odemira a 29 de abril. Entretanto, nas diversas intervenções o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita sublinhou os bons resultados da cerca sanitária.

De resto, em comunicado emitido esta tarde, o Conselho de Ministros confirmou o levantamento da cerca sanitária a partir das 00h00 do dia 12 de maio.

“Atendendo à evolução positiva da situação epidemiológica verificada naquelas freguesias, decorrente em grande medida da implementação de mecanismos para a mitigação das dificuldades que o elevado grau de mobilidade e as dinâmicas próprias daquela zona geográfica criavam no combate à propagação do vírus SARS-CoV-2, decidiu o Governo alterar as medidas de restrição da circulação que estavam em vigor desde 30 de abril”, indica o documento.

Relacionadas

Cerca sanitária em Odemira “está a produzir efeitos”, garante Eduardo Cabrita

Na reunião plenária desta quinta-feira, o ministro da Administração Interna disse que as medidas implementadas tornaram Portugal um país “com os melhores resultados de incidência da pandemia em toda a UE” e recordou o caso da cerca sanitária de Ovar, onde foram mobilizadas instalações privadas de hotelaria.

CAP solicita ao Governo a apresentação dos resultados das inspeções realizadas em Odemira

A exigência é direcionada à ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que vai presidir amanhã, dia 12 de maio, à reunião do Conselho Permanente de Concertação Social.

Zmar. Governo garante ao tribunal que migrantes foram todos alojados em cabanas que não estão “abrangidas por nenhum dos contratos de utilização temporária” (com áudio)

Na resposta à notificação do tribunal, o Executivo de António Costa diz que os trabalhadores migrantes foram alojados em cabanas que não estão abrangidas pelos contratos de utilização temporária de alvéolo. Destes 28, um total de 13 ainda permanecem neste parque de campismo. Governo diz que o Zmar “manifestou oposição a qualquer acordo que titulasse a ocupação parcial”.
Recomendadas

Covid-19. Presidente da República alerta sobre tempo presente “perigosamente egoísta”

O Presidente da República elogiou este sábado o percurso de meio século de liberdade religiosa em Portugal, mas advertiu que se vive “um tempo perigosamente egoísta” e frisou que as preocupações sociais são inseparáveis de uma democracia justa.

CML/Rússia. Presidente da República quer que se retirem lições para futuro e admite clarificação da lei

O Presidente da República elogiou este sábado o percurso de meio século de liberdade religiosa em Portugal, mas advertiu que se vive “um tempo perigosamente egoísta” e frisou que as preocupações sociais são inseparáveis de uma democracia justa.

Marcelo vai a Nova Iorque assistir à posse de Guterres na ONU  

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, desloca-se na próxima semana a Nova Iorque para assistir à cerimónia de tomada de posse do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que decorre em 18 de junho.
Comentários