Marcelo preside hoje às comemorações entre Portalegre e Cabo Verde

As comemorações do Dia de Portugal terminam com uma receção à comunidade portuguesa, num hotel do Mindelo, na terça-feira ao fim do dia.

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, preside hoje às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que começam em Portalegre, de manhã, e terminam em Cabo Verde na terça-feira.

Em Portalegre, pelas 11h, na Avenida das Forças Armadas, Marcelo Rebelo de Sousa vai fazer o seu primeiro discurso na presença do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e do primeiro-ministro, António Costa.

As comemorações do Dia de Portugal começaram no domingo, no centro da cidade de Portalegre, com uma cerimónia de içar da bandeira nacional, ocasião em que o chefe de Estado aproveitou para defender que o 10 de Junho é em primeiro lugar uma efeméride que celebra “o culto da pátria”, frisando que o país cultiva o seu passado, mas é um projeto virado para o futuro.

Perante os jornalistas, o chefe de Estado defendeu o caráter positivo dos resultados alcançados com o modelo de dupla celebração instituído a partir de 2016 nas comemorações do Dia de Portugal: primeiro em território nacional e depois no estrangeiro.

“Este modelo despertou o país para uma nova realidade. Uma nova realidade que já era antiga. Valeu a pena comemorar o 10 de Junho, por simbólico que fosse, fora das nossas fronteiras físicas, mas dentro do nosso território espiritual”, concluiu o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou neste contexto que o atual modelo de comemorações iniciou-se em 2016, tendo então sido repartido entre Lisboa e Paris.

“Começámos em França [2016], de França fomos ao Brasil [2017], do Brasil aos Estados Unidos [2018], e vamos agora a Cabo Verde. Entretanto, aumentou ainda mais a participação das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e houve uma extensão do direito de voto no sentido do recenseamento automático, alargando de forma impressionante o universo eleitoral fora das fronteiras físicas do país”, apontou o Presidente da República, numa alusão a recentes mudanças legislativas operadas ao nível do sistema eleitoral.

Ainda no domingo, Marcelo Rebelo de Sousa partiu para o Porto, onde assistiu à vitória da seleção portuguesa de futebol, na final da Liga das Nações, diante da Holanda.

Esta manhã, na cerimónia de Portalegre, também vai estar presente o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e no desfile militar vai haver uma representação cabo-verdiana a participar juntamente com as Forças Armadas Portuguesas.

A seguir, Marcelo Rebelo de Sousa viaja para a cidade da Praia com o primeiro-ministro, António Costa, e com o Presidente de Cabo Verde, onde vai falar perante representantes da comunidade portuguesa neste país, que é composta, no total, por cerca de 21 mil pessoas, dispersas por várias ilhas cabo-verdianas.

Esta cerimónia de receção na capital de Cabo Verde vai atuações musicais do cantor cabo-verdiano Tito Paris e da fadista portuguesa Raquel Tavares, na Escola Portuguesa.

Em Cabo Verde, no âmbito das comemorações do 10 de Junho, além do chefe de Estado e do primeiro-ministro, vão estar os ministros da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, e os deputados Feliciano Barreiras Duarte, do PSD, Carlos Pereira, do PS, Maria Manuel Rola, do BE, Pedro Mota Soares, do CDS-PP, e João Dias, do PCP.

As comemorações do Dia de Portugal terminam com uma receção à comunidade portuguesa, num hotel do Mindelo, na terça-feira ao fim do dia.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro regressa a Portugal e o Presidente da República viaja para a Costa do Marfim para uma visita de Estado.

Recomendadas

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.

PCP: “Não tem havido grande evolução” nas negociações com o Governo sobre o OE2022

Segundo Jerónimo de Sousa, o partido transmitiu a Marcelo Rebelo de Sousa a importância de o orçamento do próximo ano ter incluídas medidas essenciais, nomeadamente de valorização dos salários, das reformas e das pensões, reforço da rede de creches e dos serviços públicos.
Comentários