Marcelo pressiona Governo e pede prioridade na ajuda aos sem-abrigo

O Presidente da República quer que até 2023 deixem de haver sem-abrigo, e deixa claro que é fundamental que os prazos tenham de ser cumpridos.

Cristina Bernardo

O governo de Pedro Passos Coelho já tinha deixado na mesa uma série de medidas para erradicar o problema dos sem-abrigo. Essa nota de medidas está agora a ser melhorada pelo atual Governo, que sente a pressão de Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República não está suficientemente satisfeito com a estratégia de António Costa, que tem como prazo 2017 a 2023. Mas, para o PR o processo parece estar a demasiado vagaroso.

“Já estamos em abril. Covém que não se perca o ano de 2017 e que, com os contribuintes destas e de muitas outras instituições, seja aplicada a estratégia 2017-2023, mas para ser aplicada em 2017 e não para ser aplicada em 2018”, disse Marcelo, citado pelo Público.

O Presidente da República reuniu-se ontem na sede da Comunidade Vida e Paz com seis instituições que dão apoio às pessoas que não têm um teto, e, para manter o debate aberto dentro do Parlamento, Marcelo vai estar hoje no Saldanha, às 20h30, a acompanhar voluntários da associação CASA.

 

Recomendadas

Covid-19: PSD questiona Governo sobre critérios para realização de testes de despiste

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Viana do Castelo questionaram hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre “os critérios para priorizar” os testes à covid-19, defendendo a sua realização “imediata” em lares da região.

Duarte Cordeiro e mais quatro Secretários de Estado nomeados “autoridades para execução” do Estado de Emergência

O Governo nomeou cinco Secretários de Estado como “autoridades de execução do estado de emergência” para cada uma das cinco grandes regiões do país. O Secretário de Estado da Mobilidade foi designado para a região do Norte; da Juventude e Desporto para a região do Centro; dos Assuntos Parlamentares para a região de Lisboa e Vale do Tejo; Adjunto e da Defesa Nacional para a região do Alentejo; e das Pescas para a região do Algarve.
rui_rio_psd_legislativas_1

PSD quer adiar pagamentos de impostos até outubro e reduzir IMI em 20% este ano

O PSD quer, com estas medidas, “aumentar a liquidez das empresas” e os rendimentos das famílias e sublinha que tal não implica perda de receita nas contas nacionais, uma vez que “esses valores são registados como receita este ano”.
Comentários