Marcelo pressiona Governo e pede prioridade na ajuda aos sem-abrigo

O Presidente da República quer que até 2023 deixem de haver sem-abrigo, e deixa claro que é fundamental que os prazos tenham de ser cumpridos.

Foto: Cristina Bernardo

O governo de Pedro Passos Coelho já tinha deixado na mesa uma série de medidas para erradicar o problema dos sem-abrigo. Essa nota de medidas está agora a ser melhorada pelo atual Governo, que sente a pressão de Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República não está suficientemente satisfeito com a estratégia de António Costa, que tem como prazo 2017 a 2023. Mas, para o PR o processo parece estar a demasiado vagaroso.

“Já estamos em abril. Covém que não se perca o ano de 2017 e que, com os contribuintes destas e de muitas outras instituições, seja aplicada a estratégia 2017-2023, mas para ser aplicada em 2017 e não para ser aplicada em 2018”, disse Marcelo, citado pelo Público.

O Presidente da República reuniu-se ontem na sede da Comunidade Vida e Paz com seis instituições que dão apoio às pessoas que não têm um teto, e, para manter o debate aberto dentro do Parlamento, Marcelo vai estar hoje no Saldanha, às 20h30, a acompanhar voluntários da associação CASA.

 

Recomendadas

CDS quer actualização do Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa

Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral querem saber se está já em curso alguma actualização ao Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vectores, elaborado em 2016, e se não, para quando está pensada essa actualização. E enviaram a pergunta ao ao ministro da Agricultura, Florestas […]

Angela Merkel e Boris Johnson consideram prematuro regresso da Rússia ao G7

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disseram esta quarta-feira em Berlim ser prematuro considerar o regresso da Rússia ao G7, uma ideia avançada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump.

CDS-PP pede explicações ao Governo sobre pagamento de ‘vouchers’ para manuais escolares

O grupo parlamentar do CDS-PP pediu esta quarta-feira esclarecimentos ao Ministério da Educação pela alegada falta de pagamento dos ‘vouchers’ Mega, usados para adquirir manuais escolares, alegando que a situação “é insustentável” e demonstra “desgoverno” por parte do executivo.
Comentários