Marcelo Rebelo de Sousa adverte que quem quer a regionalização não deve precipitar-se

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, advertiu esta quinta-feira que quem quer a regionalização do país não deve precipitar-se, considerando que “é preciso não cometer erros de percurso”.

marcelo_rebelo_sousa_legislativas

“Quem quer a regionalização não deve precipitar-se, porque esse pode ser o grande obstáculo à regionalização. Quem não quer, é-lhe indiferente, pois essa precipitação pode até ser um argumento para não se regionalizar”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, à margem de uma visita a uma escola em Vila do Conde, no distrito do Porto.

O chefe de Estado não quis comentar as declarações dos presidentes de Câmara de Lisboa e Porto, Fernando Medina e Rui Moreira, que apontaram que Marcelo Rebelo de Sousa seria “um obstáculo” à regionalização”.

“Se se quer regionalizar, com um modelo virado para o futuro, diferente do modelo de há 20 anos, e com cabeça tronco e membros, é preciso não cometer erros de percurso e não haver precipitações, que seriam um obstáculo”, disse o presidente da República.

Sobre a proposta do CDS-PP, na Assembleia da República, para realização de um novo referendo sobre o tema, o chefe de Estado preferiu “não se pronunciar sobre matérias discutidas no parlamento”

Marcelo Rebelo de Sousa abordou este tema regionalização no decurso de uma visita à Escola Básica Dr. Carlos Pinto Ferreira, na freguesia de Junqueira, em Vila do Conde, considerada um dos melhores estabelecimentos públicos de ensino do país, pelos dados disponibilizados, este ano, pelo Ministério da Educação.

“Havendo muitas escolas excelentes em Portugal, esta é uma delas, em termos de aproveitamento, qualidade de ensino, ambiente no agrupamento, e visão de futuro. É um projeto educativo que me parece muito interessante e virado para o futuro. Estar aqui é para agradecer, apoiar, e estimular um domínio fundamental para o avanço do país”, vincou o presidente da República.

Ler mais
Recomendadas

André Ventura pede a demissão de Eduardo Cabrita por palavras “gravíssimas”

Para o deputado único do partido recém chegado ao parlamento, as declarações de Eduardo Cabrita foram “gravíssimas e desprovidas de sentido” e recordou que, “num primeiro momento”, o Governo chegou a “negar a veracidade” daquilo que tinha sido referido por André Ventura, ou seja, a aquisição de material de segurança por parte das forças policiais.

Só “por algum ato milagroso” relações serão retomadas entre Livre e Joacine, realça nova direção do partido

“Se por algum ato milagroso houver uma mudança de atitude por parte da deputada Joacine Katar Moreira obviamente que trabalharemos” com a única representante do partido no parlamento, afirmou Pedro Mendonça, em declarações aos jornalistas no final do IX Congresso do Livre.

“Desfaçatez e falta de respeito”. PSD repudia declarações de Eduardo Cabrita sobre equipamento da PSP

Em causa estão declarações do ministro numa entrevista hoje divulgada ao Diário de Notícias e à TSF, na qual Eduardo Cabrita é questionado sobre as notícias que dão conta de agentes policiais “que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso”.
Comentários