Marcelo responde a embaixador dos EUA: “Em Portugal, quem decide são os representantes escolhidos pelos portugueses”

A agência Lusa questionou o chefe de Estado sobre as declarações proferidas pelo embaixador dos EUA, George Glass, em entrevista Expresso, publicada na edição deste sábado, em que defende que “Portugal tem de escolher entre os aliados e os chineses”.

EPA/ALEX EDELMAN / POOL

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, respondeu hoje ao embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) em Lisboa afirmando que, “em Portugal, quem decide acerca dos seus destinos são os representantes escolhidos pelos portugueses”.

A agência Lusa questionou o chefe de Estado sobre as declarações proferidas pelo embaixador dos EUA, George Glass, em entrevista Expresso, publicada na edição deste sábado, em que defende que “Portugal tem de escolher entre os aliados e os chineses”.

“É uma óbvia questão de princípio que, em Portugal, quem decide acerca dos seus destinos são os representantes escolhidos pelos portugueses – e só eles – no respeito pela Constituição e o direito por ela acolhido, como o direito internacional”, afirmou o Presidente da República, numa declaração enviada à agência Lusa.

Este sábado, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, comentou, em declarações à agência Lusa, e entrevista de George Glass ao semanário português Expresso, em que defendeu que Portugal tem de escolher entre os “amigos e aliados” EUA e o “parceiro económico” China, alertando que escolher a China em questões como o 5G pode ter consequências em matéria de Defesa.

“O Governo português regista as declarações […]. Mas o ponto fundamental é este: em Portugal, quem toma as decisões são as autoridades portuguesas, que tomam as decisões que interessam a Portugal, no quadro da Constituição e da lei portuguesa e das competências que a lei atribui às diferentes às diferentes autoridades relevantes”, disse.

Relacionadas

Santos Silva responde aos Estados Unidos. Portugal é “quem toma decisões”

O chefe da diplomacia portuguesa avisou hoje que quem toma as decisões em Portugal é o Governo, em resposta a declarações do embaixador dos Estados Unidos, que exigiu que Lisboa escolha entre os aliados e a China.
Recomendadas

Japão promete neutralidade de carbono até 2050

O primeiro-ministro nipónico não apresentou um calendário específico para alcançar este equilíbrio entre as emissões de gases com efeito de estufa e a sua absorção, mas mencionou a importância da tecnologia.

Estado australiano foco da pandemia levanta confinamento a partir de terça-feira

O confinamento foi decretado em julho, quando o número de novos casos era de cerca de 190 por dia, número que subiu para 700 em agosto.

Alemanha regista 8.685 novas infeções nas últimas 24 horas

O número de novas infeções registadas hoje é o dobro dos 4.325 novos casos contabilizados na segunda-feira da semana passada.
Comentários