Marginal parcialmente fechada ao trânsito entre São Pedro e Parede por razões de segurança

“A segurança das pessoas e bens é primordial e é prioritária. Um incómodo hoje pode evitar uma tragédia amanhã”, argumenta a autarquia de Cascais.

A marginal está fechada ao trânsito entre São Pedro e a Parede no sentido Cascais-Lisboa. A decisão foi tomada pela autarquia de Cascais por estar em causa a “segurança de pessoas e bens”. Está assim cortada a circulação de automóveis na faixa da direita na Avenida Marginal (EN 6) entre a rotunda de São Pedro e o cruzamento da Parede, no sentido Cascais-Lisboa.

“Portugal tem um histórico de facilitismo que está na origem de graves acidentes inclusivamente com perdas de vidas e, face à análise técnica e da observação local, a Câmara Municipal de Cascais não podia ficar de braços cruzados à espera que nada sucedesse”, disse o presidente da câmara, Carlos Carreiras, em comunicado.

“A decisão da Câmara Municipal de Cascais deve-se ao estado de degradação do muro (paredão) que serve de contenção à estrada nacional 6, ao longo de uma extensão de mais de 300 metros. Após uma atenta análise local e com o suporte técnico de pareceres do serviço Municipal de Proteção Civil verificou-se que há um risco objetivo para a segurança para quem circula naquela importante artéria”, segundo a autarquia presidida por Carlos Carreiras.

“Além disso as condições meteorológicas com previsão de chuva para os próximos dias poderão dada a situação precária do paredão, criar situações de elevada perigosidade na segurança rodoviária. A Avenida Marginal é uma estrutura da IP não possuindo a autarquia a responsabilidade sobre aquela infraestrutura, mas atenta às responsabilidades de segurança a Câmara Municipal de Cascais, em diálogo com o IP, está certa que esta decisão é a mais consentânea face à eventualidade de riscos graves para a segurança de todos que diariamente circulam naquela avenida”, pode-se ler no comunicado da câmara.

“A segurança das pessoas e bens é primordial e é prioritária. Um incómodo hoje pode evitar uma tragédia amanhã”, remata a autarquia.

Recomendadas

Diploma do Chega sobre incompatibilidade de políticos retirado do plenário pelo Governo

Presidência da Assembleia da República avisou gabinete de André Ventura que o Executivo não autorizou o arrastamento do seu projeto de lei para ser discutido em conjunto com proposta de lei sobre contratação pública. “O Governo não achou bem o projeto e passou por cima do presidente da Assembleia da República”, protestou o deputado único do Chega.

Efacec: Estado não vai assumir responsabilidade pelas dívidas de Isabel dos Santos, garante Governo

O Executivo socialista acredita que “grande parte” da dívida da empresária angolana aos bancos que financiaram a sua entrada na Efacec (Montepio, BPI e BIC) “está perdida” porque o valor da indemnização que vai resultar da avaliação que o Governo vai fazer “não será suficiente para amortizar a totalidade dessa dívida”.

PS recomenda ao Governo tarifa social de acesso à Internet

O Grupo Parlamentar do PS pediu ao Governo para implementar a tarifa social de acesso a serviços de Internet prevista no Plano de Ação para a Transição Digital. Em tempos da pandemia da Covid-19, Socialistas consideram “imperioso” criar esta tarifa social que, à semelhança da tarifa social de eletricidade, venha a reduzir os encargos financeiros dos consumidores mais vulneráveis.
Comentários