Maria Begonha, uma líder envolta em polémicas

Maria Begonha é a 13ª secretária-geral da Juventude Socialista e a terceira mulher à frente da estrutura, depois de Margarida Marques e de Jamila Madeira.

Maria Begonha foi no domingo, 16 de dezembro, secretária-geral da Juventude Socialista (JS) com 72% dos votos. A nova líder da Juventude Socialista tem estado rodeada por polémicas. Além de alegadamente ter mentido sobre um falso título de mestrado na biografia de campanha, como noticiou o jornal Observador, três avenças por ajuste directo (atribuídas em quatro anos) em autarquias socialistas e o uso de um minibus de uma junta de freguesia socialista. O percurso político de Maria Begonha, de 29 anos (faz 30 em janeiro), está assim envolto em várias dúvidas.

A intervenção de Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, era uma das mais esperadas na reunião magna. O governante saiu em defesa da nova líder da JS. “A Maria Begonha foi acusada de ter forjado o seu currículo. É uma acusação grave, perante a qual não podemos hesitar em nenhum momento. Não tem lugar na política quem engana. Só que não foi isso que a Maria fez”, afirmou.

“Eu sei porque vi a nota biográfica que a Maria Begonha enviou à direção da sua campanha. Eu sei, como muitos de vocês sabem, que a Maria nunca mentiu sobre o seu currículo, nem quando foi contratada para assessora da Câmara Municipal de Lisboa”, acrescentou.

As incongruências no currículo de Maria Begonha estão a ser alvo de uma investigação do Ministério Público. No documento, a candidata apresentava incorrecções quanto ao seu mestrado e às funções desempenhadas na Junta de Freguesia de Benfica e na Câmara Municipal de Lisboa (CML).

Maria Begonha é a 13ª secretária-geral da JS e a terceira mulher à frente da estrutura, depois de Margarida Marques (1981-1984) e de Jamila Madeira (2000-2004).

Relacionadas

PremiumCandidata a líder da JS ganha 110 mil euros em ajustes diretos

O preço total dos contratos era de 256 mil euros (mais IVA), mas foram interrompidos. Maria Begonha acabou por receber 110 mil euros por 28 meses de trabalho de assessoria ao vereador Duarte Cordeiro, do PS. “Tenho o maior orgulho”, afirma Begonha.
Recomendadas

Inquérito/Energia: Vieira da Silva delegou em Zorrinho mas subscreve decisões

Vieira da Silva disse ainda “não ter dúvidas” de que “estrategicamente, teria sido vantajoso permanência do Estado na REN”, e adianta que “várias das medidas que o governo teve de tomar foram decididas num quadro de emergência.

Fisco restitui coimas do ViaCTT

No regime anterior, um contribuinte que fosse obrigado a aderir à ViaCTT e não o fizesse atempadamente estaria sujeito ao pagamento de uma coima que poderia ir dos 50 aos 250 euros.

CDS marca debate de atualidade sobre gestão da CGD: “Governo tem papel pouco ativo no apuramento dos factos”

Em declarações ao Jornal Económico, o porta-voz do CDS, João de Almeida, defende que “há aqui também uma responsabilidade do Banco de Portugal, já que há um conjunto de funções enquanto supervisor que continuou a estar fora de detetar e a tempo útil”.
Comentários