Maria Lúcia Leitão do BdP eleita Presidente da Organização Internacional para a Proteção do Consumidor Financeiro

Esta não é a primeira vez que a Diretora de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal assume funções na equipa dirigente da FinCoNet. Em 2016, Maria Lúcia Leitão foi eleita Vice-Presidente da organização, cargo que desempenhou ao longo dos últimos três anos, período em que a presidência foi ocupada pela representante do supervisor do Canadá.

A Diretora do Departamento de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal, Maria Lúcia Leitão, acaba de ser eleita Presidente da Organização Internacional para a Proteção do Consumidor Financeiro – FinCoNet, que reúne autoridades de supervisão responsáveis pela conduta na comercialização de produtos e serviços bancários de retalho de países dos cinco continentes do globo. O anúncio foi feito pelo supervisor bancário.

A eleição, para um mandato de três anos, foi aprovada por unanimidade pelos 27 membros da FinCoNet, na última assembleia geral da organização, que decorreu a 13 e 14 de novembro, na sede do Banco de Itália, em Roma.

Na assembleia-geral, foi também eleito o novo Vice-Presidente da FinCoNet, cargo que passou a ser ocupado por Chris Green da Australian Securities and Investments Commission, a autoridade de supervisão da Austrália.

“É um enorme privilégio ter sido eleita para liderar esta organização seis anos depois da sua constituição formal, em Lisboa. A FinCoNet é uma plataforma de partilha de informação, experiências e melhores práticas que permite melhorar os padrões de supervisão comportamental a nível mundial (…). Podem contar comigo para continuar a promover a agenda da FinCoNet”, refere no comunicado Maria Lúcia Leitão, na assembleia geral da organização.

Esta não é a primeira vez que a Diretora de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal assume funções na equipa dirigente da FinCoNet. Em 2016, Maria Lúcia Leitão foi eleita Vice-Presidente da organização, cargo que desempenhou ao longo dos últimos três anos, período em que a presidência foi ocupada pela representante do supervisor do Canadá.

O Banco de Portugal diz que a candidatura da Diretora do Departamento de Supervisão à FinCoNet “contou, desde a primeira hora, com o apoio da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), um dos seis membros observadores desta entidade, grupo que integra ainda o Banco Mundial, a Comissão Europeia, a Consumers International, a International Association of Insurance Supervisors e o Consultative Group to Assist the Poor”.

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal apela que os administradores não executivos sejam agentes de maior escrutínio das decisões de gestão

Os objetivos últimos, no caso dos bancos, “vão muito para além do interesse dos acionistas. Trata-se de preservar os interesses de muitos outros stakeholders e o interesse público”, salientou a administradora do BdP que ficou com o pelouro da supervisão prudencial.

Sindicatos chegam a acordo com o EuroBic para a revisão do Acordo de Empresa

Os trabalhadores do EuroBic vão ter novos benefícios com o novo Acordo de Empresa. A nova convenção traz mais benefícios aos trabalhadores, nomeadamente na tabela salarial até 2022, dizem os sindicatos do Sul e Ilhas e do Centro.

Faria de Oliveira alerta que sistema bancário tem um excesso de liquidez que não entra na economia

O presidente da APB está a ser ouvido no Parlamento sobre comissões bancárias.
Comentários