Mariana Mortágua acusa Governo de ter “falseado argumentos” sobre Novo Banco (com áudio)

Para a deputada do Bloco de Esquerda, importava “saber qual é a medida que iria proteger o interesse público e poupar dinheiro aos contribuintes, garantindo o controlo de um banco tão importante” como o que é liderado por António Ramalho.

A deputada do Bloco de Esquerda (BE) Mariana Mortágua acusou esta segunda-feira o Governo de ter mascarado o debate sobre o Novo Banco e também de ter falseado argumentos.

Para Mariana Mortágua , importava “saber qual é a medida que iria proteger o interesse público e poupar dinheiro aos contribuintes, garantindo o controlo de um banco tão importante como o Novo Banco”. Mas, em alternativa, o Governo “mascarou este debate ao ter falseado argumentos”, segundo a bloquista.

Durante conferência de imprensa no Parlamento, a deputada do BE mencionou que o Tribunal de Contas (TdC), tal como o Bloco de Esquerda, critica “a incapacidade de comunicação” que se registou no Novo Banco.

Esta segunda, o TdC divulgou recomendações ao Governo e Fundo de Resolução. Ao Governo, através do ministro das Finanças, sugeriu providenciar a correção do registo do financiamento público do Novo Banco pelo Fundo de Resolução, ao abrigo do Acordo de Capitalização Contingente. Ao Fundo de Resolução recomendou assegurar que o valor a financiar é apropriadamente demonstrado, verificado e validado, antes de ser pago.

Mariana Mortágua referiu ainda que “todo o dinheiro injetado por via do fundo de resolução é dinheiro dos contribuintes portugueses”, acrescentando que “a auditoria deixa isso muito claro.

“Quando o Governo e o Banco de Portugal nos dizem que esta auditoria confirma que a solução encontrada manteve a estabilidade do sistema financeiro, nos aí podemos responder que qualquer medida que evitasse a liquidação do Banco, cumpriria o objetivo de estabilidade do sistema financeiro”, sublinhou a deputada do BE.

Por sua vez, Mário Centeno, Governador do Banco de Portugal, assegurou que não houve “qualquer falta de validação, verificação ou demonstração do rácio de capital do Novo Banco”.

Ler mais
Relacionadas
PORTUGAL De Banco

Centeno garante que não houve “qualquer falta de validação, verificação ou demonstração do rácio de capital do Novo Banco”

Governador do Banco de Portugal criticou as afirmações da auditoria do Tribunal de Contas sobre o mecanismo de capitalização contingente. “Conclusão incorreta”, afirmou Centeno.

Novo Banco. O que recomenda o Tribunal de Contas ao Governo e ao Fundo de Resolução?

A auditoria do Tribunal de Contas ao processo de financiamento público do Novo Banco ao Abrigo do Acordo de Capitalização Contingente, foi feita na ótica da salvaguarda do interesse público. Veja aqui as conclusões do TdC e as recomendações que originou a auditoria.
Recomendadas

“Maquiavel para Principiantes”. “Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”

“Amnésia rima com impunidade. Sabem que são os portugueses que pagam os seus calotes e vai continuar o gozo. Luís Filipe Vieira parece que funcionava como testa de ferro de Ricardo Salgado”, destacou Rui Calafate no podcast do JE.

Farfetch prevê crescimento das vendas em 35% este ano para os três mil milhões de euros (com áudio)

No primeiro trimestre, a companhia ganhou 480 mil novos clientes. Estados Unidos da América e China são os mercados que se destacam.

Editor de Política da Lusa demite-se no âmbito de notícia que identificava deputada com expressão racista (com áudio)

Em comunicado, a Direção de Informação da Agência Lusa avança ainda que instaurou um processo de averiguações ao jornalista Hugo Godinho, o autor da peça, de modo a apurar as circunstâncias em que a notícia sobre a deputada Romualda Fernandes foi elaborada.
Comentários