Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

A cabeça de lista do BE às eleições europeias de 26 de maio, Marisa Matias, alertou hoje, num almoço/comício no Funchal, que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões” para recuperar o sistema financeiro.

“Há um tema que não tem sido falado”, disse a candidata, alertando que “a União Europeia está mesmo a preparar um assalto às pensões”, através de um PPR europeu, “um negócio à medida do mercado de capitais”, para aliviar “a pressão sobre os fundos públicos” e “recuperar o sistema financeiro”.

Marisa Matias disse que o BE e os pensionistas não querem os descontos “nas mãos do sistema financeiro” e que a União Europeia “quer é atacar” os sistemas públicos da Segurança Social e das pensões.

“O objetivo de Bruxelas é recuperar o sistema financeiro à custa das pensões e por isso inventa uma desculpa da falta de poupanças”, salientando que Bruxelas quer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

Por isso, Marisa Matias lançou uma pergunta aos cerca de 400 participantes no almoço/comício que decorreu na praça do peixe do Mercado dos Lavradores no Funchal: “Querem mesmo ver as vossas pensões nas mãos de banqueiros como Joe Berardo, Ricardo Salgado ou Armando Vara?”

A cabeça de lista do BE, depois de salientar que o bloco central europeu onde estão o PS, PSD e o CDS/PP estão do lado do sistema financeiro, apelou aos militantes para não faltarem ao voto no dia 26 de maio “para defender as pensões que merecem”.

O candidato pela Madeira do BE Rui Ferrão defendeu a necessidade da Madeira, enquanto região ultraperiférica, ter um representante no Parlamento Europeu.

Ler mais
Recomendadas

Sánchez culpa Podemos e Cidadãos por cenário de novas eleições em Espanha

O líder socialista espanhol, Pedro Sánchez, culpou hoje o líder do Unidas Podemos, Pablo Iglesias, e o líder do Cidadãos, Alberto Rivera, pela falha de uma solução de Governo, que levará a novas eleições gerais em novembro.

Diferenças em relação a Costa “ficaram marcadas no debate”, diz Rio

O líder do PSD, Rui Rio, defendeu hoje que as diferenças entre o programa dos sociais-democratas e o dos socialistas “ficaram muito marcadas” no debate televisivo que teve na segunda-feira com o secretário-geral do PS, António Costa.

Sondagem da Católica dá vitória ao PSD na Madeira mas perde maioria absoluta

Perante estes resultados, a composição da Assembleia Legislativa da Madeira, composta por 47 deputados, o PSD poderá eleger entre 19 a 23 deputados, seguindo-se o PS que poderá dar assento parlamentar entre 14 a 18 deputados.
Comentários