Martim Menezes é novo sócio da Abreu

Advogado saiu da CCA para reforçar Contencioso e Comercial do escritório liderado por Duarte d’Athayde.

O advogado Martim Menezes é o novo sócio da Abreu, reforçando a equipa de Contencioso e Comercial do escritório liderado por Duarte d’Athayde. Martim Menezes deixou assim a CCA, escritório onde nos últimos anos acompanhou vários casos mediáticos (como os processos da IURD contra a TVI, no âmbito do caso das alegadas adoções ilegais) e operações de grande dimensão em áreas como as Telecomunicações, Media e Tecnologia (TMT).

“Estou verdadeiramente satisfeito com a decisão de integrar a Abreu, uma sociedade que sempre se destacou no nosso mercado pela sua independência e dinâmica, e que tem sido pioneira em matérias como a tecnologia ou a sustentabilidade, que têm permitido um exponencial e firme crescimento”, referiu Martim Meneses, em comunicado.

Com o mais recente sócio integram também a área de Contencioso e Comercial da Abreu os advogados Tiago Leote Cravo (associado principal, vindo da Garrigues), Sara Mendonça (associada, vinda da CCA) e Pedro Tavares Pereira (associado, também ex-CCA).

Recomendadas

Ordem dos Advogados: Conselho Regional de Lisboa pede isenção de três meses no pagamento das quotas

O conselho que reúne mais de metade dos 32 mil advogados inscritos na Ordem pede auxílio financeiro para mitigar os efeitos que o novo coronavírus traz ao rendimento mensal de muitos destes profissionais.

Efeitos jurídicos das medidas governativas no âmbito do combate à Covid-19

Poder-se-ia sustentar que apoios à manutenção de postos de trabalho são também apoios às empresas. Contudo, os referidos apoios exigem uma disponibilidade financeira imediata das empresas.

Respostas rápidas: como funciona o regime do ‘lay-off’ simplificado?

O ‘lay-off’ simplificado é uma das medidas anunciadas pelo Governo destinadas a apoiar as empresas durante a pandemia da Covid-19. No entanto, o texto legislativo tem deixado algumas dúvidas de interpretação. O escritório Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados fez um estudo em que pretende dissipar algumas dúvidas.
Comentários