Matos Fernandes preside a reunião dos ministros do Ambiente da União Europeia

O impacto das alterações climáticas na gestão da água é o tema principal deste encontro.

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, preside amanhã, dia 23 de abril, a partir das oito horas, à videoconferência informal dos ministros do Ambiente da União Europeia (UE), no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da UE.

“O impacto das alterações climáticas na gestão da água é o tema principal do encontro. Os ministros terão a oportunidade de discutir a estratégia europeia de adaptação às alterações climáticas e de debater casos concretos de gestão de água num quadro de escassez deste recurso. Da agenda do encontro fazem ainda parte a discussão da dimensão internacional da adaptação às alterações climáticas e a sua relação com os objetivos estabelecidos no quadro do Acordo de Paris”, esclarece uma nota do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Segundo essa nota, no final deste encontro, está prevista uma conferência de imprensa conjunta com o ministro do Ambiente e da Ação Climática, e com o Comissário Europeu para o Ambiente, Pescas e Oceanos, Virginijus Sinkevičius.

Pelas 15h15m, João Pedro Matos Fernandes vai intervir no Fórum de Investimento Verde de Alto Nível União Europeia-África, organizado pela Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia e pelo Banco Europeu de Investimento.

“O Fórum de Investimento Verde reúne especialistas e representantes políticos europeus e africanos, promovendo o debate e intensificando a parceria entre os dois continentes. É um espaço para aprofundar o empenho em alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e os objetivos mundiais em matéria de clima”, adianta o Ministério do Ambiente.

Recomendadas

Final da Liga dos Campeões poderá resultar na emissão de mais de cinco mil toneladas de GEE

A estimativa foi feita com base na previsão de que 12 mil passageiros, em classe económica, farão uma viagem de ida e volta entre os aeroportos de Londres Heathrow-Porto e Manchester-Porto. Isto sem contar com a deslocação entre as próprias equipas e convidados.

25 cidades portuguesas estão preparadas para atenuar danos das alterações climáticas

As cidades dos municípios de Águeda, Amarante, Braga, Fafe, Guimarães, Ovar, Valongo, Viseu, Funchal, Loulé, Barreiro, Cascais, Lisboa, Mafra, Sintra e Torres Vedras fazem parte do total das 148 cidades europeias que assumem boas práticas para atenuar os efeitos das alterações climáticas.

Estudo alerta para incumprimento da Convenção sobre a Diversidade Biológica por países ricos

Esta investigação dedicou-se a analisar as principais causas da perda de biodiversidade mundial e concluiu que é necessária uma “reorganização urgente e profunda” da economia global pós-pandemia da covid-19 para evitar mais danos ambientais.
Comentários