PremiumMaxyield alega que houve uso indevido de informação privilegiada nos CTT

Clube dos pequenos acionistas queixa-se à CMVM sobre alegado uso ilícito de informação e diz que investidor dos EUA beneficiou. CTT desmentem.

A Maxyield, Clube dos Pequenos Acionistas, apresentou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) uma exposição sobre factos ocorridos nos CTT que alega serem “suscetíveis de integrarem os conceitos de utilização indevida de informação privilegiada de Sociedade Aberta e distorção material das Demonstrações Financeiras”.

Segundo a Maxyield, a administração dos CTT tem em seu poder uma avaliação formal do património imobiliário do grupo, realizada em 2019, compreendendo uma revalorização de cerca de 200 milhões de euros, que não transmitiu ao mercado através da CMVM.

“A informação foi divulgada em língua inglesa em dois webcasts de apresentação dos resultados a analistas [em março e novembro deste ano], nos quais foi igualmente referido o estudo sobre o enquadramento fiscal e regulamentar, para apresentar no próximo ano novidades sobre o negócio imobiliário”, afirmou a Maxyield, numa carta endereçada a Gabriela Figueiredo Dias, presidente da CMVM, e à qual o Jornal Económico (JE) teve acesso.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

CTT comunica compra de títulos pelo CEO

A empresa responsável pelo serviço de correio no território nacional esclarece que, por lapso, a transação em causa não havia sido comunicada na altura em que foi consumada, em novembro do ano passado.

Uber Eats reuniu 77% das reclamações dos consumidores em 2020

De acordo com a organização, março foi o mês em que se verificou a maior variação de crescimento face a 2019, com uma taxa de 617%, visto que foi o mês em que foi declarado o estado de emergência.

Mercadão vai recrutar mais 200 pessoas para responder ao crescimento das entregas

O marketplace, que entre outras assegura o serviço do Pingo Doce, conta atualmente com cerca de 700 ‘shoppers’, dos quais mais de metade recrutados durante o primeiro confinamento.
Comentários