Médicos aconselham a não deixar as crianças levarem aparelhos eletrónicos para o quarto

“O nosso conselho permite apoiar as crianças a recolher os benefícios e a protegê-los de danos” que existem no mundo online, diz a especialista britânica Sally Davies.

Os médicos que lançaram o aviso são do Reino Unido, mas o conselho é para todos os pais do mundo: não deixar as crianças levarem aparelhos eletrónicos para o quarto ou utilizarem-nos durante o tempo de refeição. Estes especialistas britânicos apresentaram um total de oito conselhos para os pais conseguirem fazer um uso adequado da tecnologia em casa, uma vez que esta tende a aumentar a cada dia com a transformação digital.

Sally Davies, diretora de um gabinete médico em Inglaterra, garante que o tempo que os mais novos passam na internet pode ser benéfico porque lhes fornece oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento de capacidades, no entanto, é necessário “tomar medidas de precaução”. “O nosso conselho permite apoiar as crianças a recolher os benefícios e a protegê-los de danos” que existem no mundo online, diz.

Embora a equipa não inclua no estudo o tempo que as crianças devem passar com um ecrã, avisam que o uso da tecnologia pode afetar atividades essenciais, como dormir. Assim, sugerem que o governo, as plataformas digitais e as empresas tecnológicas devem tomar medidas imediatas para proteger os mais jovens, e propõe também a introdução de um código voluntário de conduta que proteja as crianças quando estão online. 

Andy Burrows, associado de segurança infantil na internet, garante que é preciso reagir: “Os gigantes tecnológicos falharam em proteger os seus utilizadores mais jovens” e que o “governo deve legislar, sem mais demoras, as redes sociais e torná-las responsáveis caso não consigam proteger os jovens dos perigos que existem no mundo cibernauta”.

Além da quantidade de sono, os cientistas também referem que este deve ser de qualidade, aconselhando então deixar os telemóveis fora do quarto. Fazer uma pausa após o uso prolongado de ecrãs é o mais aconselhável pelos cientistas, e evitar o uso dos aparelhos tecnológicos durante as refeições.

Recomendadas

Saiba que cuidados deve ter ao organizar as suas férias (parte 3)

Verifique se o contrato inclui as informações referidas no programa de viagens e ainda os serviços pagos pelo cliente, de forma facultativa, bem como todas as exigências específicas acordadas entre cliente e agência.

Portugueses estão a pedir mais empréstimos para pagar contas. Pedem em média 2.239 euros

Para pagar as suas contas, os portugueses estão a aumentar os empréstimos. Nos últimos seis meses pediram 2.239 euros, mais 400 euros face ao período homólogo. Estudo da Intrum conclui, tal como o Banco de Portugal, que o aumento foi suportado pelo crescimento dos créditos pessoais sem fins específicos.

Bankinter lança Crédito Multilinha para Empresas

O banco quer dar às empresas maior flexibilidade e rapidez, e permitir aceder de forma simplificada ao crédito, “de forma a responder às suas necessidades correntes de tesouraria e de financiamento futuro”.
Comentários