MEGA. Já foram disponibilizados um milhão de vouchers para reutilização de manuais escolares

Vouchers para aquisição de manuais escolares gratuitos já começaram a ser disponibilizados na plataforma para os alunos dos 2.º, 3.º, 4.º, 6.º, 8.º, 9.º 11.º e 12.º anos. Restantes anos só terão vouchers disponíveis a partir de 13 de agosto.

No dia da abertura da plataforma Manuais Escolares Gratuitos (MEGA), o Ministério da Educação (ME) contabilizou a disponibilização de mais de um millhão de vouchers que permitem o levantamento nas livrarias aderentes destes manuais.

De acordo com um comunicado divulgado, esta terça-feira, pelo ME estão disponíveis os bilhetes para livros escolares dos alunos do 2.º, 3.º, 4.º, 6.º, 8.º, 9.º 11.º e 12.º anos. Os vouchers para os restantes anos de escolaridade –1.º, 5.º, 7.º e 10.º – começarão a ser disponibilizados a partir do dia 13 de agosto.

A nota chega numa altura em que as escolas, os alunos e os encarregados de educação se preparam para o arranque do novo ano letivo.

A tutela de Tiago Brandão Rodrigues recorda ainda que o início do próximo ano letivo está previsto para 14 a 17 de setembro, “sendo as primeiras cinco semanas especialmente dedicadas à recuperação de aprendizagens, salvaguardando os efeitos da crise pandémica dos últimos meses”.

Recomendadas

Vereador da Educação de Lisboa propõe testagem gratuita de professores, alunos e auxiliares

“A reabertura da escola faz aumentar os contactos sociais e consequentemente faz aumentar o risco de contágio. Garantindo a continuidade das aprendizagens, precisamos de encontrar uma forma de dar confiança à comunidade escolar”, disse Manuel Grilo à Lusa.

1500 novos assistentes operacionais reforçam escolas

As contratações anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, no arranque do ano letivo na Secundária de Alcochete estão já formalizadas em portaria publicada no Diário da República.

PremiumAulas ao sábado, máscaras e testes no novo ano letivo

Universidades e politécnicos regressam às aulas presenciais com novas normas. Segurança é prioridade, mas entre os docentes é geral a convicção de que o alarme pode tocar. Sindicato está preocupado com a desvalorização de docentes convidados.
Comentários