PremiumMercado imobiliário dá sinais de recuperação após desconfinamento

Durante o período do confinamento, o setor imobiliário viu a sua atividade suspensa, mas a recuperação tem sido sólida, garantem os mediadores. Impacto da recessão ainda não se fez sentir.

Os meses de março e abril foram particularmente duros para o setor imobiliário que viu as suas transações suspensas, tal como o resto da economia portuguesa. No entanto, os dados da Century 21, Remax e Comprar Casa mostram uma recuperação nos meses de junho e julho, apesar da crise económica que se traduziu numa queda histórica de 16,5% do PIB português no segundo semestre do ano.

“É óbvio que a pandemia teve impacto na nossa atividade. A 16 de março, os cartórios fecharam e mesmo que eu quisesse escriturar era impossível”, contou ao Jornal Económico Luís Mário Nunes, diretor geral da Comprar Casa.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Mais de 185 milhões de euros investidos desde 2018 em residências sénior

Em termos de investimento, só nos primeiros seis meses de 2021 foram alocados 65,5 milhões de euros a este segmento, entre aquisições de residências já concluídas e investimento em novos projetos. “Este montante equivale a 36% de todo o investimento no segmento desde 2018 e sucede a um ano recorde em que foram transacionados pouco mais de 73 milhões de euros”, disse a JLL.

Imobiliário. Baixa e Centro Histórico do Porto registaram investimento de 86 milhões no primeiro semestre

Valor corresponde a 286 transações de aquisição de imóveis registadas na Baixa e do Centro Histórico da cidade, o que representou um aumento de 40%, face às 204 operações registadas no semestre anterior.

“É preciso fazer uma boa gestão do PRR”, diz country manager da Schneider Portugal

Victor Moure foi um dos especialistas presentes na webconference realizada pelo Jornal Económico, em parceria com a Schneider Electric, sobre os desafios da sustentabilidade na construção e no imobiliário.
Comentários