Merlin vai investir 150 milhões de euros na plataforma logística de Castanheira do Ribatejo

Na cerimónia de inauguração deste emprendimento logístico, que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita, o CEO da Merlin Properties revelou que o grupo dispõe de um total de ativos sob gestão que já ascendem a cerca de 12 mil milhões de euros, gerando um rendimento anual de cerca de 500 milhões de euros

Merlin Properties

A empresa imobiliária Merlin Properties vai investir 150 milhões de euros no desenvolvimento do Lisboa Park, mais conhecido como Plataforma Logística Lisboa Norte, que foi hoje, dia 18 de maio, inaugurado em Castanheira do Ribatejo, pelo CEO da empresa, Ismael Clemente.

Na cerimónia de inauguração deste emprendimento logístico, que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita, o CEO da Merlin Properties revelou que o grupo dispõe de um total de ativos sob gestão que já ascendem a cerca de 12 mil milhões de euros, gerando um rendimento anual de cerca de 500 milhões de euros.

Em Portugal, a carteira de ativos da Merlin Properties já ascende a mais de mil milhões de euros, anunciou também Ismael Clemente.

“Desde que começou a sua atividade em 2014, a Merlin Properties definiu como objetivo estratégico ser uma empresa ibérica com uma forte presença nos mercados português e espanhol. Hoje, volvidos sete anos desde que começámos a nossa atividade, somos a maior sociedade imobiliária da Península Ibérica, proprietária de uma carteira de ativos imobiliários comerciais de enorme qualidade, onde se incluem edifícios de escritórios em Lisboa, Madrid e Barcelona, centros comerciais dominantes e urbanos em quinze cidades e armazéns logísticos de última geração nos sete principais ‘hubs’ da Península”, destacou o CEO da Merlin Properties nesta cerimónia.

Ismael Clemente acrescentou depois que “esta nossa empresa jovem, com ADN dinâmico e ibérico, está especializada na aquisição, gestão e valorização de imóveis de escritórios, ‘retail’ e logística, e tem hoje mais de 12 mil milhões de euros em ativos, que geram anualmente cerca de 500 milhões de euros de rendimento”.

“Em Portugal, através de aquisições muito selectivas, temos construído com muita paciéncia uma carteira de activos com uma qualidade ímpar, que em valor ascende a mais de mil milhões de euros. A nossa carteira fica agora mais forte com a inclusão desta primeira componente logística”, adiantou este responsável.

O parque logístico hoje inaugurado tem uma nave de última geração de 45.171 metros quadrados de superfície bruta locável, dividida em seis módulos, e uma Área Bruta Locável (ABL) edificável total de 224.864 metros quadrados.

Está localizado na principal área logística de Lisboa, em Castanheira do Ribatejo (eixo Alverca-Azambuja), e tem ligações diretas às autoestradas A1, A10 e A9. Está também localizado a 30 quilómetros do centro de Lisboa e dispõe de uma estação ferroviária para passageiros e mercadorias à entrada do parque, com uma ligação direta à capital portuguesa. O parque incluirá também o futuro centro logístico do grupo Jerónimo Martins, cujo desenvolvimento está previsto arrancar em breve.

“No âmbito do ambicioso programa de empreendimentos logísticos que a Merlin Properties tem vindo a realizar nos últimos anos, o Merlin Lisboa Park constituiu um dos principais expoentes. O sucesso deste empreendimento é mais uma prova do excelente momento que o sector logístico está a viver na Península [Ibérica], impulsionado pelo crescimento do comércio eletrónico. A nave logística, que tem sido muito bem acolhida no mercado, foi concebida com os melhores padrões de qualidade para satisfazer as atuais exigências dos grandes operadores logísticos internacionais. Conta com vias de grandes dimensões, uma altura de 14,7 metros, um grande número de docas (uma por cada 500 metros quadrados), a possibilidade de operar pela parte traseira com carrinhas, estrutura e recinto em betão armado, iluminação LED, amplas áreas de manobra e um grande número de lugares de estacionamento. Além disso, a qualidade da construção é eficiente do ponto de vista energético e a nave terá em breve uma instalação fotovoltaica de autoconsumo”, assinala um comunicado da promotora imobiliária do empreendimento.

De acordo com esse documento, “o parque tem flexibilidade para se adaptar às necessidades dos operadores e do mercado, com uma grande capacidade de desenvolvimento para executar projetos chave na mão ou outros projetos de investimento”.

“Este armazém que inauguramos hoje, com mais de quarenta e cinco mil metros quadrados (45.000) de capacidade, enquadra-se na estratégia de crescimento da Merlin e vem dar resposta às solicitações de um mercado, o logístico, que enfrenta grandes desafios. Estes desafíos nascem da revolução digital, que teve e tem os seus impactos na eficência de toda a operação logística, o próprio ‘Brexit’ e a imposição de tarifas nalguns mercados, que levam as empresas a repensar toda a cadeia de distribuição (favorecendo o ‘inshoring’), o forte crescimento do comércio ‘online’ e, a exigência dos clientes finais em termos de baixo custo, flexibilidade e rapidez nas entregas e devoluções”, recordou Isamel Clemente.

O CEO da Merlin Properties alertou ainda que “este exigente contexto coloca os operadores sob pressão e leva a uma maior exigência na selecção de armazéns logísticos, que lhes permitam ser eficientes (em custo) e eficazes (em tempo)”.

“A Merlin, percebendo o contexto actual, decidiu destinar cerca de cento e cinquenta milhões de euros ao desenvolvimento da Plataforma Logística Lisboa Norte, única em termos de localização, comunicação e proximidade ao seu mercado, dotando-a de armazéns logísticos de última geração, e de um conjunto de serviços que ajudam os nossos clientes a dar resposta a estes desafios”, assumiu o CEO da promotora imobiliária.

Ismael Clemente salientou ainda que esta plataforma logística “servirá um mercado de quase três milhões de pessoas, a Área Metropolitana de Lisboa, dinamizando de forma ímpar e por inerência o próprio município”.

“Este é o primeiro de muitos passos que queremos, em conjunto, dar com este município, e que se traduzirá na futura expansão desta plataforma”, assegurou Ismael Clemente.

Em termos globais para o mwercado nacional, “o objetivo da empresa é posicionar-se e consolidar-se como a referência logística em Portugal e assim reforçar a sua posição de liderança na Península Ibérica”.

 

Recomendadas

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.

Detalhes são importantes na continuação de acordo tributário do G7, dizem especialistas

No passado fim de semana, os países que integram o G7 alcançaram um acordo sobre a reforma do sistema tributário mundial que prevê uma taxa de imposto mínima de 15% sobre as empresas e que as multinacionais paguem impostos nos países onde obtêm receitas e lucram e não apenas naquele (s) onde estão sedeadas.

PremiumPatrões e sindicatos: resposta à crise não foi suficiente

Desde a burocracia excessiva no acesso aos apoios à insuficiência das medidas para proteger rendimentos e empresas, tanto patrões, como sindicatos apontam falhas no primeiro ano de João Leão à frente das Finanças portuguesas.
Comentários