Metade das rendas do programa de rendas acessíveis estão abaixo dos 500 euros

O Governo espera dentro de dois anos que 20% dos contratos de arrendamento firmados serão feitos no âmbito do PAA. A maioria dos contratos estão a ser assinados em Lisboa, diz a tutela.

Av. Almirante Reis

Metade das rendas do Programa de Arrendamento Acessível (PAA) estão abaixo dos 500 euros, segundo um balanço feito pelo Governo.

O Ministério das Infraestruturas e da Habitação diz que o “ritmo de contratos assinados continua a aumentar de um a cada dois dias. Avança-se ainda que um quarto destes contratos tem rendas inferiores a 300 euros e cerca de metade tem rendas inferiores a 500 euros. A maioria destes contratos são em Lisboa, zona do país onde a pressão é mais evidente”.

O comunicado cita a secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que tem referido que o PAA é um programa de médio prazo, sem “efeitos imediatos”, devendo entrar em “velocidade cruzeiro dentro de ano e meio, dois anos”.

No final deste período, cerca de 20% dos contratos de arrendamento firmados serão feitos no âmbito do PAA, segundo a tutela.

“O programa está em linha com as expetativas assumidas pelo Governo aquando do seu lançamento, em julho passado”, de acordo com o ministério de Pedro Nuno Santos.

Recomendadas

Desemprego aumenta 1,5% em dezembro, diz IEFP

No final do mês de dezembro de 2019, estavam inscritos nos Centros de Emprego 310.482 indivíduos, o que corresponde a uma variação homóloga de -8,4% (28.553 pessoas) e a uma variação mensal de 1,5% (4.521 pessoas).

Saldo conjunto das balanças corrente e de capital cai para 1.209 milhões em novembro

O saldo conjunto das balanças corrente e de capital fixou-se, até novembro, nos 1.209 milhões de euros, menos de metade dos 3.415 milhões de euros obtidos no período homólogo, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Fruta Feia já tirou duas mil toneladas do lixo e entregou 1 milhão de euros aos agricultores

Isabel Soares, mentora da cooperativa Fruta Feia explicou que chegar a este número em seis anos de existência do projeto significa que este é “um modelo que funciona e que conseguiu, baseado na responsabilidade do consumidor, salvar duas mil toneladas [de alimentos] do lixo”.
Comentários