Microsoft irá promover a transformação digital do Banco Santander

O contrato global de vários anos ajudará o banco a impulsionar a inovação e a aumentar a sua eficiência operacional através de várias soluções em cloud, incluindo o Microsoft Azure, gestão de dados, inteligência artificial e serviços cognitivos.

O Banco Santander estabeleceu uma parceria com a Microsoft para ser o seu parceiro estratégico na implementação de serviços em cloud para facilitar a transformação digital da entidade bancária.

Este contrato global de vários anos ajudará o banco a impulsionar a inovação e a aumentar a sua eficiência operacional através de várias soluções em cloud, incluindo o Microsoft Azure, gestão de dados, inteligência artificial e serviços cognitivos.

O Banco Santander está a migrar a sua infraestrutura tecnológica para um ambiente multi-cloud com plataformas globais apoiadas por metodologias mais práticas que ajudem a acelerar a transformação tecnológica da entidade.

Como parte deste acordo, a Microsoft irá colaborar com o Santander para expandir os recursos de cloud do banco em todos os seus mercados com “a criação de aplicações nativas na cloud e soluções bancárias novas e inovadoras”, além de melhorar as aplicações atuais com novos recursos inteligentes.

A Microsoft vai ainda fornecer programas de treino e certificação no programa Microsoft Azure para os funcionários do Banco Santander. O chefe de tecnologia e operações do Banco Santander, Dirk Marzluf, afirma que com esta parceria de “inovação bem-sucedida e focada no cliente”, a entidade vai alcançar, melhorar e personalizar a experiência dos utilizadores.

Recomendadas

Banco de Portugal adopta ‘energia verde’ nos seus edifícios

“A transição para a nova forma de consumo de energia deverá estar concluída ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Com esta medida, o Banco tem como objetivo reduzir a sua pegada de carbono”, explica a instituição

BCE pede aos bancos que evitem “distorcer” resultados de testes de stress

A cada dois anos, a Autoridade Bancária Europeia e o BCE realizam os chamados testes de stress a 50 bancos da União Europeia para medir a força das entidades bancárias em diferentes cenários de stress, como uma crise, por exemplo.

Haitong encaixou ganho de 1,97 milhões com venda de subsidiária na Irlanda

Com esta transação, o Haitong Bank reforçou significativamente a qualidade dos seus ativos e o rácio de NPL (“Non-Performing Loans”) passou a situar-se abaixo dos 5%, adianta o banco.
Comentários